Uso de árbitro de vídeo depende de "ok" da Globo em reunião nesta terça

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Reinaldo Canato

    Coronel Marcos Marinho, chefe de arbitragem da CBF

    Coronel Marcos Marinho, chefe de arbitragem da CBF

Marco Polo Del Nero foi claro: quer a utilização do árbitro de vídeo o quanto antes no Campeonato Brasileiro. Para ter o recurso já na próxima rodada, no entanto, a CBF precisa de um aval da TV Globo.

Responsável pelas imagens que serão utilizadas pelos árbitros durante os jogos, a emissora se reunirá com a confederação nesta terça-feira (19), quando, então, uma decisão sobre o início da utilização do recurso será tomada.

"Vamos utilizar as imagens da Globo. Claro que alguns jogos têm mais câmeras que outros, mas a ideia é que se tenha um mínimo de sete por partida. Dá para fazer um bom trabalho", disse o chefe de arbitragem da CBF, coronel Marcos Marinho, comentando ainda o encontro com a TV.

"Não posso falar em porcentagem ou possibilidade para iniciar isso. Queremos o quanto antes, mas tudo depende de uma reunião com eles (TV Globo) amanhã (terça). Já estamos conversando há bastante tempo, mas queremos ter certeza que há condições de se utilizar tudo já o quanto antes", explicou.

Em entrevista ao UOL Esporte na noite desta segunda (18), Marinho ainda explicou detalhes da implementação do sistema e admitiu que alguns jogos das 14 rodadas restantes do Campeonato Brasileiro podem ficar sem o arbitro de vídeo por questões técnicas em estádios menores.

"É um risco. E todos sabem, porque concordaram com o nosso regulamento (geral de competições de 2017)", disse o coronel.

Confira os principais trechos da entrevista:

Uso só em alguns jogos

"Nosso regulamento prevê que se não houver condições técnicas em determinado estádio, não precisa usar. Isso está previsto no regulamento. Se for possível, a gente vai usar nos 10 jogos para dar tratamento igual para todos. Mas o risco é para todo mundo. Todos assinaram e sabiam do risco. Pode ser que no seu jogo dê um lance de (dúvida) gol ou não gol. Mas tem o árbitro adicional que poderá ajudar".

Poucos árbitros treinados

*Apenas os árbitros Wilton Pereira Sampaio, Anderson Daronco, Péricles Bassols e Sandro Meira Ricci, além dos auxiliares Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse, receberam treinamento para trabalhar em partidas com árbitro de vídeo

"Temos que nos superar. Estamos há dois anos com isso, as pessoas no treinamento, tenho a certeza de que muitas das informações de testes que foram feitos hoje estão consolidadas em termos de procedimento. Estamos colocando supervisores em cada um desses jogos que vão estar monitorando. Em qualquer desvio, a gente vai estar interferindo".

Capacitação de 14 árbitros em 2017

"Se nos foi dada uma missão, tem que cumprir. Evidentemente que pode ter algum probleminha lá na frente que vamos ter que resolver. Como a coisa está muito bem definida, não tem muito o que inventar, estamos colocando os mais experientes para participar desse programa (de treino para árbitro de vídeo). São 14 árbitros e 14 assistentes, e está fechado esse grupo. Pegamos o perfil de árbitros com mais de 38 anos, com experiência, que tenham uma boa leitura de campo, de lances, e que vão complementar o trabalho do árbitro de campo".

Vídeo na final da Copa do Brasil?

"Se houver aceitação dos dois clubes (Cruzeiro e Flamengo) para que use, talvez a gente utilize. Mas quero que os dois clubes sejam ouvidos e aceitem isso. Nós tivemos um primeiro jogo que não teve nenhum problema, então se eles quiserem uma coisa que vai ajudar mais ainda o espetáculo, que evite um erro que seja decisivo..."

Decisão rápida da CBF

"A gente conhece o presidente, a gente sabe que ele gosta de desafios, e jogou na minha mão. É um desafio grande, mas missão dada é missão cumprida".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos