Auxiliar quebra protocolo, ignora polêmicas e vira porta-voz de Cuca na web

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras

    Eudes (primeiro plano), que comentou sobre o caso Jô, é ativo nas redes-sociais

    Eudes (primeiro plano), que comentou sobre o caso Jô, é ativo nas redes-sociais

A comissão técnica de Cuca possui um porta-voz nas redes sociais, mais especificamente no Twitter. Desde o ano passado, durante a campanha do título brasileiro, o auxiliar Eudes Pedro usa o microblog para manifestar-se sobre o dia a dia do clube, agradecer aos torcedores e até se posicionar sobre questões polêmicas. A última envolveu o gol de braço anotado pelo corintiano Jô.

Eudes Pedro, um dia antes da partida contra o Coritiba, considerou o lance do centroavante rival "lamentável" e ainda estendeu a indignação para a atual situação política do Brasil. "Num país onde se negam malas de dinheiro, jogador fazendo gol de mão. O que esperar dos responsáveis. LAMENTÁVEL", escreveu.

Não é a primeira vez que Eudes Pedro expõe a própria opinião em questões polêmicas. No ano passado, durante a campanha vitoriosa no Campeonato Brasileiro, a postura pública do auxiliar incomodou dentro do clube – atletas e pessoas da cúpula do então presidente Paulo Nobre questionaram a exposição constante do braço-direito de Cuca, especialmente após um caso específico.

Na época, Cuca procurava um centroavante do futebol exterior para servir de sombra a Gabriel Jesus, incontestável titular da equipe na campanha. Sem sucesso, Eudes esperou o fim da janela de transferências e lamentou a falta de um homem para substituir o hoje atacante do Manchester City:

As declarações repercutiram de maneira negativa dentro do Palmeiras e incomodaram membros da diretoria. As cobranças, por exemplo, diminuíram. Tanto que, até o fim do ano, a postura de Eudes se mostrou mais reservada. O auxiliar usava a rede social para agradecer aos torcedores, pedir apoio e, claro, defender o técnico Cuca.

"Família palmeirense, pela última vez, não acreditem em boatos. Cuca na China, Cuca sai, é tudo mentira. (...) Estão querendo desestabilizar nosso ambiente, que é excepcional", escreveu ele em um momento de instabilidade no ano passado. "Foi comentado aqui que o Cuca brigou com atacantes na China. Tínhamos Aloisio, Tardelli, Montillo e Júnior Urso. Só três poderiam jogar. É natural algum jogador que fique no banco ficar insatisfeito, nada além disso. Por isso, não vamos criar coisas inexistentes", disse em outra oportunidade.

Dentro da comissão técnica, Eudes é tratado como um dos grandes homens de confiança de Cuca, assim como Cuquinha, outro a retornar à Academia de Futebol nesta segunda passagem do técnico campeão nacional no ano passado. Além da China, os dois trabalharam também juntos no Atlético-MG.

Solidariedade a Mattos e festa por Paulo Nobre

Os incômodos gerados no ano passado diminuíram em 2017. Neste ano, Eudes Pedro se limitou a procurar e demonstrar apoio a pessoas do clube. Quando o diretor Alexandre Mattos perdeu o pai, o auxiliar fez questão de dedicar a vitória ao chefe nas redes sociais.

Quem não se encontra mais no clube e esteve presente nos episódios incômodos de Eudes também é lembrado. O auxiliar de Cuca tratou recentemente de comemorar a primeira vitória do ex-presidente Paulo Nobre no rali. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos