Lateral direito, volante e análise de emprestados: Como o Inter pensa 2018

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Guto Ferreira participa das decisões sobre a próxima temporada e planeja Inter

    Guto Ferreira participa das decisões sobre a próxima temporada e planeja Inter

O Inter já pensa 2018. Mesmo sem a certeza sobre qual campeonato disputará, o Colorado analisa os caminhos para reforçar o elenco. E isso passa pela avaliação dos jogadores que voltam de empréstimo, a expectativa pela chegada de um lateral direito e um novo volante.

"Todos os clubes já estão planejando de alguma forma 2018", disse o vice de futebol colorado, Roberto Melo. "Mas vamos deixar isso para o momento certo. Estamos muito focados em atingir nosso objetivo, que é recolocar o Inter na Série A", completou.

E mesmo que não esteja trabalhando efetivamente no ano que vem, a direção vermelha traça planos e define caminhos para percorrer. Uma das principais carências do grupo é a lateral direita. Disposto a dar oportunidade a Alemão, o Inter ainda tem Claudio Winck e Junio no grupo, mas chegou a considerar a possibilidade de trazer um novo atleta da função ainda para este ano. No ano que vem, abre a lista de reforços a contratação de um lateral.

Além disso, o posto de volante pode passar por mudanças. Ciente do interesse europeu em Rodrigo Dourado, a direção do Inter espera um assédio forte para a próxima janela de transferências. Pressionado por uma condição financeira que requer negociações, o comando do clube não descarta vender o marcador campeão olímpico com a seleção brasileira.

Desta forma se abriria uma vaga em posto relevante na equipe. Charles, hoje reserva, é um jovem ainda sem a experiência necessária para assumir a condição de titular definitivamente.

Além disso, os jogadores emprestados a outros clubes serão analisados. Aqueles que não tiverem efetivada a cláusula de compra poderão ganhar novas chances. São os casos de Valdívia, Seijas e até mesmo Andrigo. Todos - quase 30 jogadores - estão no radar e com rendimento sob avaliação. Até porque as saídas não tiveram participação do técnico Guto Ferreira. Ele chegou depois da liberação da maioria dos atletas que saíram por empréstimo e hoje participa ativamente do projeto para 2018. 

Premissa de qualidade

A principal premissa para reforçar o elenco, seja com novos jogadores ou com aqueles que voltam de empréstimo, é clara: ter condições de disputar titularidade. A direção do Internacional, ao menos no discurso, se nega a contratar jogadores que cheguem com rótulo de suplente ou 'para compor grupo'.

"Eu acredito que qualquer jogador contratado precisa chegar aqui com condições de ser titular. Pode ser agora, daqui a um tempo, no outro ano, mas um jogador que seja contratado precisa ter qualidade para assumir uma condição de protagonista no elenco. Caso contrário, não tem por que contratar", afirmou Melo.

Falta pouco para subir

Enquanto isso, o Colorado foca suas forças na volta à Série A. Em levantamento feito pela reportagem do UOL Esporte, falta pouco. Basta ganhar seis dos próximos 14 jogos que o time comandado por Guto Ferreira - que fica para o ano que vem - atinge este objetivo.

Em contrapartida, o comandante fez questão de sublinhar, em conversa com a imprensa, que os rivais pelas quatro primeiras posições na tabela se aproximam perigosamente e que todo jogo será importante nos momentos decisivos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos