Cobrado, Corinthians é vítima de calote e vai à Fifa contra clube italiano

Dassler Marques e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Corinthians deu entrada em processo na última sexta para pedir dinheiro do Empoli

    Corinthians deu entrada em processo na última sexta para pedir dinheiro do Empoli

Realizada há um ano, a venda do meia Matheus Pereira ao Empoli-ITA ainda rende dor de cabeça à direção corintiana. Cobrado judicialmente pelo empresário Fernando Garcia por meio do clube Sociedade Esportiva Vitória-SP, o Corinthians ingressou com ação na Fifa e alega não ter recebido a segunda parcela relativa a essa transferência. 

O processo é complexo e teve origem com a transferência do jovem à Itália em julho de 2016. Matheus pertencia ao Corinthians, mas tinha grande parte dos direitos econômicos repassada ao Sociedade Vitória - só 5% era propriedade corintiana. O clube, ligado ao grupo de empresários liderado por Garcia, alega não ter recebido a fatia a que tinha direito (R$ 2,4 milhões) e ingressou com um processo judicial. O problema é que o Corinthians alega também não ter recebido.

Por conta disso, na última sexta-feira (15), o advogado corintiano Sergio Engelberg montou um processo para que a Fifa intervenha e o clube possa receber o que tem direito. O Empoli, que adquiriu Matheus em parceria com a Juventus-ITA, acordou fazer um pagamento em três parcelas: 1 milhão de euros de imediato (já acertada), 700 mil euros (em aberto desde 15 de abril) e outros 700 mil euros (a receber em 15 de dezembro).  

Eduardo Anizelli/Folhapress

"No contrato de transferência do Matheus Pereira ao Empoli, não foi paga a segunda parcela já vencida (700 mil euros, ou R$ 2,6 milhões aproximadamente). O Corinthians apresentou à Fifa, aos órgãos disciplinares dela, informando que o Empoli não pagou e o intimando a se manifestar e pagar. O processo não teve decisão da Fifa, mas é totalmente incontroverso que o Empoli deve a segunda parcela e por isso fomos à Fifa", declarou Engelberg ao UOL Esporte.

O advogado frisa que a movimentação não deve ser tão rápida, salvo uma manifestação por opção do próprio Empoli. "Os processos da Fifa não têm a mesma velocidade de processos judiciais no Brasil. A Fifa ainda trabalha com sistema de fax, então toda a movimentação por escrito ocorre assim e dá o prazo para o clube pagar. É difícil dizer quanto tempo pode demorar", observou Sergio Engelberg. 

De acordo com o regulamento da Fifa, o Empoli pode ser inicialmente advertido, receber uma reprimenda, vir a ser multado e, em último caso, banido do registro de novos jogadores por uma ou duas janelas de transferências consecutivas. O banimento dos registros é considerado algo drástico, e reservados para casos mais graves e clubes reincidentes.

Matheus Pereira tem trajetória irregular na Europa

Considerado uma das maiores promessas do Corinthians nos últimos anos, Matheus Pereira, de 19 anos, ainda não conseguiu justificar esse status como jogador profissional. Depois de passar pelo Empoli e atuar apenas duas partidas no segundo semestre de 2016, ele foi repassado à Juventus para atuar nas divisões de base, mas também não agradou. 

Na reta final da janela de transferências, na esteira do sucesso de Malcom no Bordeaux-FRA, os empresários de Matheus viabilizaram um empréstimo para a mesma equipe francesa. Por enquanto, o meia revelado no Corinthians ainda não estreou na nova equipe. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos