Parlamentares europeus chamam campanha de defesa do Barça a Messi de imoral

Do UOL, em São Paulo

  • Albert Gea/Reuters

Um comitê do Parlamento Europeu se reuniu na última terça-feira (26) para tratar de casos de lavagem de dinheiro e evasão de divisa. A reunião contou com representantes do futebol europeu e teve como um dos temas Lionel Messi.

Em julho do último ano, Messi e seu pai, Jorge, a 21 anos de prisão por fraude de 4,1 milhões de euros por meio de paraísos fiscais em Belize e no Uruguai. Por não ter antecedentes criminais, nenhum dos dois precisou cumprir a pena.

Durante a reunião, segundo o "Guardian", um dos membros do Parlamento chamou a campanha feita pelo Barcelona em apoio a Messi de "imoral". "Messi foi considerado culpado e sentenciado. Essa campanha é imoral e contraditória com os valores promovidos pela Fifa", afirmou o belga Louis Michel.

 A reunião ainda contou com críticas à UEFA e à FIFA pelas contradições na campanha de fair play financeiro e com a falta de preocupação nos casos de sonegação de imposto.

"É uma questão de legislação nacional. Nossas competências são limitadas. Fazemos o que está em nosso poder para investigar aspectos esportivos", justificou Kimberly Morris, chefe da FIFA para transferências globais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos