Clube volta a receber torneio europeu 15 anos após morte trágica e falência

Lucas Pastore

Do UOL, em São Paulo

  • Jack Guez/AFP

    Camisa 11 do Lugano, Carlinhos aquece antes de jogo contra o Hapoel Beer-Sheva

    Camisa 11 do Lugano, Carlinhos aquece antes de jogo contra o Hapoel Beer-Sheva

Nesta quinta-feira (28), o FC Lugano, da Suíça, recebe o Steaua Bucareste pela segunda rodada da fase de grupos da Liga Europa em sua primeira partida como mandante da competição. No jogo, o clube vai voltar a sediar uma competição europeia 15 anos depois do início de uma crise que teve morte de presidente e falência declarada.

Em março de 2002, Helios Jermini, então presidente do Lugano, foi encontrado morto dentro de seu carro pela polícia perto de Brusino-Arsizio, cidade suíça localizada a cerca de 23 minutos da que batiza o clube. O dirigente estava desaparecido há dois dias, quando não apareceu para uma reunião que havia marcado em Milão, na Itália.

O carro de Jermini foi encontrado por um cidadão de Brusino-Arsizio, cidade cuja população não chegava a 500 pessoas na época. O ex-presidente, que costumava utilizar serviços de chofer quando viajava de carro, estava sozinho no veículo.

Na época, a dívida do Lugano era de US$ 6,25 milhões (cerca de R$ 20 milhões, na cotação atual). Por isso, acredita-se que Jermini tenha cometido suicídio.

Pouco tempo depois, em 2003, o Lugano se viu obrigado a declarar falência. Para voltar ao cenário do futebol suíço, o clube anunciou a fusão com o Malcantone Agno no dia 30 de junho de 2004 para disputar a Swiss Challenge League, equivalente à segunda divisão do futebol local. Nascia ali o Lugano AC.

O clube voltou a se chamar Lugano FC em 2008, ano do centenário do clube original, em mudança aprovada em assembleia geral com seus acionistas. O retorno à elite do futebol suíço aconteceu em 2015, e o terceiro lugar conquistado na temporada 2016/2017 garantiu a classificação para a Liga Europa e sua primeira participação em uma competição europeia desde a morte de Jermini.

"Querendo ou não, é um clube que está crescendo. Sempre com pés no chão, com muito caráter com os jogadores e responsabilidade com a cidade. A cidade abraçou a gente. O Lugano tem um time de hóquei, e às vezes o futebol fica um pouco em segundo plano aqui na Suíça. Mas como a gente estava bem no ano passado, a torcida vem junto", contou o atacante Carlinhos, único brasileiro do elenco profissional do Lugano, ao UOL Esporte.

O clube fez sua estreia nesta edição da Liga Europa com derrota por 2 a 1 para o Hapoel Beer-Sheva, em partida disputada na casa do adversário. O grupo é completado pelo Viktoria Plzen, da República Tcheca.

"O pensamento de todo mundo era pegar um time grande, um Arsenal, Milan, Lyon. Como não aconteceu, a renda do jogo pode ser que não seja a esperada. Mas está um clima diferente, pelo fato de o time não participar há anos. Querendo ou não, é a segunda competição mais importante da Europa. Todo mundo olha para ela. É um pouco deslumbrante", disse Carlinhos, que lembrou que a partida será mandada na Swissporarena, em Lucerna, a cerca de 165 quilômetros do estádio do Lugano, que não tem capacidade mínima para receber partidas da Liga Europa.

Fabrice Coffrini/EuroFootball/Getty Images
Vista externa da Swissporarena, arena que vai receber Lugano x Steaua Bucareste

Ter uma arena que possa sediar partidas continentais até 2021 é um dos planos de crescimento do Lugano, que se planeja para não repetir o fracasso do início da década de 2000. Apesar de não conquistar um título desde 1993, o clube, tricampeão suíço e da Copa da Suíça, primeiro trabalha para se firmar na elite.

"O clube está se estruturando, se organizando, fazendo tudo certo. Quer se manter entre os dez primeiros do Campeonato Suíço. Tem também a Copa da Suíça, que é considerado importante porque é um jogo só, sem volta. É um campeonato muito perigoso, mas que em cinco jogos você pode estar em uma final", declarou Carlinhos, cujo clube está na décima e última colocação na liga nacional.

Ao menos em termos de estrutura física, o brasileiro elogia o Lugano. De acordo com o atacante brasileiro, o clube se planeja para enfrentar adversários que jogam em qualquer tipo de gramado.

"A estrutura de trabalho é boa. Como aqui tem equipes que jogam em gramado sintético, a gente treina em campos complementares ao redor do estádio do clube. É como se o CT fosse dentro do estádio. São três campos com grama normal, e quatro com grama sintética. Tem também academia e fisioterapia", relatou.

Carlinhos está no Lugano desde janeiro. Hoje com 23 anos de idade, o atacante disputou sete partidas nesta temporada, sendo titular em três delas, e fez um gol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos