Topo

Futebol


Candidatos aumentam denúncias e Eurico parte ao ataque em eleição do Vasco

Marcelo Sadio/Vasco.com.br
Alvo de críticas dos opositores, Eurico agora também parte ao ataque Imagem: Marcelo Sadio/Vasco.com.br

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

29/09/2017 04h00

Faltando pouco mais de um mês para a eleição, o clima político do Vasco já ferve. Com suas campanhas a pleno vapor, os candidatos e seus respectivos grupos têm intensificado denúncias aos adversários. O principal alvo, como não poderia deixar de ser, é o atual presidente do clube, Eurico Miranda, que tentará a reeleição. Mas há espaço também para acusações e provocações entre os próprios opositores.

Se alguém ainda tinha dúvida de que Fernando Horta, presidente da escola de samba Unidos da Tijuca, está fazendo oposição a Eurico, ela deve ter se pulverizado nesta quarta-feira. Pelo Twitter, ele acusou o Vasco de estar sem luz e com salários atrasados.

A postagem causou um sentimento de fúria em São Januário. Por meio de nota oficial, o Cruzmaltino negou a informação, alegando que o que houve foi um curto-circuito em uma parte do estádio, e que a situação já havia sido parcialmente reparada. Nos bastidores, porém, dirigentes deixaram de lado a formalidade e não pouparam xingamentos e ofensas a Horta pela atitude. O cartola do samba, para quem não se lembra, era vice-geral na atual diretoria até mês passado, quando rompeu alegando não concordar com as diretrizes de Miranda.

Eurico, aliás, arregaçou as mangas e resolveu partir também para o ataque. No lançamento de sua chapa, insinuou por diversas vezes que seus opositores são ex-aliados de Roberto Dinamite, que teve uma gestão decepcionante de 2008 até o fim de 2014. Em relação a Horta, tem se referido como "omisso", em avaliação sobre a participação do ex-aliado na diretoria.

Opositores mais extremistas, Alexandre Campello e Julio Brant buscam uma aliança. Nesta sexta, uma reunião entre as partes acontecerá neste sentido. Quem ouve seus grupos políticos, porém, consegue enxergar ainda uma clara divergência de ideias e até críticas e denúncias de forma anônima entre um e outro, principalmente no que se refere às respectivas propostas.

Otto Carvalho, presidente do Conselho Fiscal e outro candidato, chegou a participar de reuniões de Campello e Brant, porém mais divergiu do que agregou, e agora parece cambar para o lado de Horta.

De todos os pré-candidatos, o único que ainda não protocolou sua chapa foi Eurico Miranda. Quem ainda não fez o lançamento oficial foi Horta, algo que acontecerá no próximo dia 7, em um clube na Barra da Tijuca.

Mais Futebol