Como Robinho venceu calvário de lesões e virou peça-chave do Cruzeiro 2017

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Robinho, meio-campista do Cruzeiro

    Robinho, meio-campista do Cruzeiro

As lesões foram o grande calvário de Robinho em 2017. Campeão da Copa do Brasil como titular do Cruzeiro, o meio-campista teve dois problemas musculares e se ausentou de mais da metade dos jogos do clube na atual temporada.

O jogador participou de 28 das 61 partidas da equipe no ano - o que representa 45,9% dos compromissos. Apesar da baixa participação, o atleta termina a campanha do torneio de mata-mata como vice-artilheiro do elenco. Ele fez três gols, enquanto Rafael Sóbis marcou cinco e sagrou-se goleador do torneio.

A característica decisiva fez de Robinho um nome de confiança de Mano Menezes. Não é à toa que foi titular em 24 dos 30 compromissos que ficou à disposição da comissão técnica - ele disputou quatro jogos como reserva e permaneceu no banco em duas ocasiões.

"Esse ano foi meio complicado para mim. Algumas lesões me atrapalharam. Mas graças a Deus o Mano sempre confiou em meu futebol e sempre que estava disponível para jogar, eu fui titular. O Mano confia em mim, o elenco confia em mim e deu tudo certo", disse o meio-campista ao UOL Esporte.

As lesões - estiramentos nas coxas esquerda e direita - e a campanha longa fizeram da Copa do Brasil um torneio sofrido para Robinho. O jogador, porém, valoriza o sofrimento para chegar à conquista:

"Valeu mais. Quando a gente sofre, a gente valoriza mais o título. A gente teve que ir a Volta Redonda, Murici... Começou lá em janeiro na pré-temporada. A gente batalhou para chegar a essa final. A gente chegou preparado, foi importante", concluiu.

Juca Kfouri: Cruzeiro, um pentacampeão impecável

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos