Contra o tempo: 10 jogadores lutam para seguir nos planos do Inter em 2018

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Carlinhos sofreu com lesões, ficou três meses fora do time e agora precisa provar

    Carlinhos sofreu com lesões, ficou três meses fora do time e agora precisa provar

A temporada 2017 ainda não chegou ao fim e o objetivo de voltar à primeira divisão é latente no Beira-Rio. Mas o ano que vem está cada vez mais em debate na direção vermelha e branca. Enquanto alguns jogadores estão garantidos nos planos do clube, outros usam os últimos momentos da temporada para ir além dos objetivos coletivos e conseguir mais um ano como alternativa válida.

Não é fácil se manter em um grande clube. Jogadores que ficam fora do time principal acabam perdendo espaço e precisam usar os poucos minutos de chance que recebem e muitos treinamentos para comprovar valor.

"No início do ano, as contratações que fizemos quando montamos o grupo também foram pensando em 2018. Creio que 70%, ou um pouco mais que isso, dos jogadores, farão parte do nosso grupo no ano que vem. Não precisaremos reformular e passar pelas dificuldades que passamos neste ano. Temos que valorizar este grupo, temos um grupo pronto para o acesso e o ano que vem também", disse o vice de futebol Roberto Melo.

São casos dos 10 atletas que mais terão trabalho para agradar o técnico Guto Ferreira, que fica para o ano que vem, e a direção vermelha. Confira a situação de cada um no grupo vermelho.

De Ortiz a Carlinhos: Defesa e lateral em debate

Ale Cabral/AGIF
Léo Ortiz lamenta após anotar o gol contra no Allianz Parque

Com segurança de uma dupla titular firmada: Klaus e Cuesta, a volta de Ernando como opção válida e a contratação por três anos de Danilo Silva, dois nomes do centro da zaga estão sob análise. O primeiro deles é Léo Ortiz, que chegou a ser titular no início da temporada, mas falhou em alguns jogos, perdeu espaço e tornou-se suplente. Hoje é um dos últimos da fila por chances e não seria estranho se fosse liberado para empréstimo no ano que vem. O segundo é Thales, que foi chamado de volta de empréstimo ao CSA-AL e logo passou a ser relacionado. Com contrato perto do fim, mais do que ficar no grupo, o fim do ano vale mais um período de vínculo.

Na lateral direita, dois jogadores vivem momentos distintos mas situações semelhantes. Enquanto Claudio Winck virou titular do time e renovou contrato automaticamente por mais um ano, o debate sobre sua condição clínica voltou à tona com os dois jogos perdidos por força de uma contusão na coxa esquerda. Enquanto isso, Alemão ganhou chance e resgatou a expectativa do momento de sua contratação. Ele chegou para ser o substituto de William, vendido ao Wolfsburg-ALE, mas não conseguiu jogar no primeiro semestre por conta de lesões. 

Na esquerda, Carlinhos é outro caso a ser sublinhado. O ex-jogador do São Paulo tem contrato até o fim do ano e não vem sendo aproveitado. Jogará neste sábado por força da suspensão de Uendel, mas ao mesmo tempo que ficou um bom tempo lesionado, viu o crescimento do jovem Iago, que ganhou espaço. Sua permanência é incerta. 

Antes de se lesionar, Carlinhos vivia bom momento com a camisa do Internacional. O jogador, que fez a sua estreia pelo Colorado na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, pela Primeira Liga, chegou a ficar invicto 12 partidas (sete vitórias e cinco empates), período que foi titular com a camisa do clube gaúcho.

Alex Santana, Diego, Roberson e Carlos

Jeferson Guareze/AGIF

De volta de empréstimo do Paraná e após um período afastado por indisciplina, Alex Santana pouco jogou. O meio-campista é frequente no banco de reservas e não conseguiu mudar totalmente o status frente à comissão técnica. Já Diego e Roberson deixaram de ser primeiras opções e hoje lutam por uma vaga como suplentes. O primeiro tem boas chances de deixar o clube por empréstimo e o segundo já foi alvo de uma série de clubes, mas ficou. Carlos, por sua vez, tem contrato de empréstimo se encerrando e por não ser titular o Inter não irá exercer a cláusula de compra de seus direitos junto ao Atlético-MG. Ou o Galo mantém o vínculo da mesma forma, ou recebe ele de volta.

O problema é o preço

Ricardo Duarte/Inter

Felipe Gutiérrez fecha a lista dos que tem que convencer em 2017. O chileno, porém, é repetidamente atrapalhado por convocações para sua seleção. Perde espaço a cada saída e não consegue ritmo de jogo com os companheiros. Reserva do time, ainda pesa para saída dele o alto valor para compra. São 2 milhões de euros (R$ 4,7 milhões) que precisam ser depositados na conta do Bétis, da Espanha, para ele ficar. Pouco provável.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos