Enigmático, D'Ale promete revelar bastidores do Inter: "Estava feio"

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    D'Alessandro quer botar a boca no mundo e contar bastidores achados em volta

    D'Alessandro quer botar a boca no mundo e contar bastidores achados em volta

Na condição de capitão e ídolo da torcida do Inter, D'Alessandro quer se manifestar. Segundo o camisa 10 do Inter, quando ele voltou da Argentina havia 'muita coisa errada'. Enigmático, o gringo prometeu contar bastidores encontrados em seu regresso, mas apenas após o Inter confirmar retorno à primeira divisão.

"Não é que a gente não sabia (como jogar a Série B), mas é uma situação complexa. E como repercutiu o ano passado dentro do campo... É tudo um processo. Continuamos vivendo este processo no começo do ano. No final do ano, se Deus quiser com objetivo na mão, falaremos sobre algumas situações que encontramos no clube que deixa triste nós que queremos o clube. Mas tivemos que passar por cima disso, nós sofremos porque o resultado não vinha. Mas é tudo o grupo. Obviamente que tem diretoria, presidente, treinador, cada um com uma parcela, mas a maior é do grupo", afirmou o gringo

D'Ale tocou no assunto sem sequer ser perguntado. Mais de uma vez repetiu que falaria sobre o que encontrou quando voltou da Argentina, no começo deste ano. Explicou que não era nada fácil. Mas não detalhou qualquer peculiaridade.

"Eu não quero puxar isso para falar de mim. Essa situação que encaramos neste ano, foi este grupo que tomou consciência do que o clube precisava. A diretoria que ganhou as eleições deste ano que fez isso. E nos unimos para tirar o Inter desta situação. Um time quando cai não é fácil. É um processo, são fases que temos que passar. E que se não recuperar rápido e subir no primeiro ano, o segundo fica mais difícil. Faremos tudo para conseguir o acesso. O caminho e a receita estão aí. Sabemos como tem que ser, como tem que jogar. Bem ou mal, não podemos deixar de competir. Mas é um processo normal. Nós entendemos o torcedor (quando protestava), porque não ganhávamos. Mas o torcedor que entenda que tivemos que administrar algumas coisas, porque o clube estava feio. Se Deus quiser, com objetivo na mão, vamos poder falar um pouco mais tranquilo sobre a situação como estava", afirmou D'Ale.

O camisa 10 resolveu ir embora no ano passado. Publicamente relatou uma decisão particular de defender o River Plate, clube que o formou jogador profissional, por seis meses. Mas nos bastidores tratava-se de uma divergência clara com a gestão passada do Inter. Por discordar da forma que ele e alguns jogadores eram tratados, optou por se distanciar.

Viu, de longe, o Inter cair para Série B. Sofreu à distância e em silêncio. Preferiu não dar entrevistas ou avaliar o momento do Inter quando esteve fora. E voltou atendendo pedido do atual comando para ajudar a recolocar o clube na elite. Poderia ter ficado na Argentina, mas acreditou que deveria intervir no processo de recuperação do clube.

Agora D'Alessandro se vê com contrato perto do fim. A direção do Inter já disse que pretende renovar o vínculo que se encerra em dezembro deste ano. Mas ele ainda não considera o momento propício para abrir negociação.

Antes de bater o martelo e decidir se fica ou não no clube, D'Ale irá, portanto, detalhar como encontrou o Inter em seu regresso. Uma esperada entrevista que não deve tardar, já que o Inter está próximo de conseguir recuperar posto na elite do futebol brasileiro.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos