Chamado por Tite, gremista Arthur vê novo conceito sobre volantes no Brasil

Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Teresópolis (RJ)

  • Pedro Martins/MoWa Press

    Arthur fez primeiro treinamento pela seleção nesta segunda

    Arthur fez primeiro treinamento pela seleção nesta segunda

Novidade do treinador Tite para a convocação desta semana, o gremista Arthur é um dos vários jovens volantes brasileiros de destaque. O primeiro, porém, a alcançar a seleção principal e na briga para atuar nos jogos contra Bolívia (dia 5 em La Paz) e Chile (dia 10 em São Paulo), ele citou uma mudança de conceito sobre a posição onde atua e que tem nomes como Douglas (Girona-ESP), Maycon (Corinthians), Wendel (Fluminense), Matheus Fernandes (Botafogo) e Thiago Maia (Lille-FRA) como expoentes. 

"Realmente o futebol mudou bastante. Antes, se falava do número 5 que só marcava e não saía para o jogo. Hoje, tem o Casemiro que é o melhor exemplo. Desde a formação do Grêmio, sempre bateram nessa tecla. Tem que marcar, por ser uma cultura do Grêmio, mas tem que saber jogar. A gente trabalhava a marcação e também a qualidade do jogo. Tive a oportunidade de estar em um clube grande com grandes profissionais que me ajudaram bastante", afirmou Arthur nesta segunda.

Candidato à vaga de Renato Augusto no banco de reservas, uma das que estão em aberto no grupo de Tite, o jovem de 21 anos diz que pode ajudar de várias maneiras. "Já joguei em algumas funções no meio. Atrás, ajudando mais na defesa, ou na frente, ajudando mais a parte ofensiva. Só tenho a crescer do lado dele (Tite). Vou escutar tudo que ele tem a dizer", comentou ainda, confiante. 

"Acho que tudo vem no tempo de Deus. Então, se fui convocado agora, era para ser agora, então tenho que dar meu máximo. É logo ali, já dá para sentir o cheirinho (da Copa). A expectativa é muito grande, mas primeiro é mostrar porque eu vim. Se o Tite me convocou é porque ele acredita em mim. Parecem ser pessoas do bem que estão ali para ajudar os mais novos. Mas acho que tudo vem no tempo certo. Sei que a disputa é difícil, mas vou buscar meu espaço", disse Arthur.

"Na Copa, não está nada decidido, e a gente sabe que tem vários jogadores de alto nível. Mas, se surgir uma brechinha ali, espero aproveitar, concluiu o estreante, que ainda não sabe se será titular em algum dos jogos do Brasil. Tite, por enquanto, não deu indícios sobre time. 

Recentemente, o treinador chegou a comparar Arthur com Gabriel Jesus, que há pouco mais de um ano estreava na equipe sem grandes expectativas, mas rapidamente ganhou a titularidade e virou uma das forças do time.

"Fico feliz por ser comparado a um grande jogador, que veio sem muito prestígio à seleção e hoje está praticamente com um pé na Copa. Fico feliz, tem vários jogadores de qualidade no meio campo consolidados na seleção, mas vou procurar aproveitar da melhor maneira possível. Onde for utilizado, foi tentar dar meu melhor para poder agradar ao professor", frisou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos