Semana do Cruzeiro começa com eleição que decidirá próximos 3 anos do clube

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Sucessor de Gilvan terá missão de continuar com grandes conquistas dos últimos anos

    Sucessor de Gilvan terá missão de continuar com grandes conquistas dos últimos anos

Cinco dias após conquistar o pentacampeonato da Copa do Brasil, o Cruzeiro tem mais uma importante decisão pela frente. Nesta tarde de segunda-feira, será realizada a votação para novo presidente da entidade. O futuro mandatário será o responsável por ocupar a cadeira principal do clube nos próximos três anos e tentar manter as boas conquistas de Gilvan de Pinho Tavares.

A votação será realizada no ginásio do Barro Preto a partir das 15h e se encerrará às 20h30, seguida pela apuração e confirmação do resultado. Ao todo, 465 conselheiros estão aptos a participar do pleito. O vencedor tomará posse da presidência no dia 31 de dezembro de 2017, na véspera do ano novo e a dois dias do aniversário de 97 anos do Cruzeiro.

Duas chapas foram registradas para a eleição. De um lado, Wagner Pires de Sá representa a Chapa União. O empresário conta com Hermínio Lemos (1º vice-presidente) e Ronaldo Granata (2º vice-presidente), e tem o apoio de Gilvan, assim como de Bruno Vicintin, vice-presidente de futebol celeste.

Do outro lado, representando a oposição, está o advogado Sérgio Rodrigues. No clube desde 2009, ele já foi superintendente de gestão estratégica e assessor jurídico da presidência. Ex-superintendente o futebol profissional, seu último cargo no clube, Sérgio é o responsável por encabeçar a Chapa Tríplice Coroa, que tem Giovanni Baroni e Marco Túlio Miranda como 1 e 2º vice-presidentes.

O ex-presidente e atual senador da república, Zezé Perrella, chegou a se candidatar para a disputa das eleições, mas retirou sua candidatura depois de ter seu nome envolvido nos desdobramentos da operação Lava Jato. Hoje, Perrella apoia a candidatura de Sérgio Rodrigues.

A tarefa do futuro presidente será manter o protagonismo que o Cruzeiro conquistou nos últimos anos. De volta à Copa Libertadores após passar em branco nas últimas duas temporadas, o tricampeonato do torneio continental certamente estará nos planos da nova diretoria. Além disso, continuar fazendo bonito nas competições nacionais também está nos planos. Vale lembrar que, embora tenha vivido temporadas conturbadas como em 2015 e 2016, Gilvan de Pinho Tavares terminará seu mandato com três taças nacionais (considerando as chances remotas de um título brasileiro em 2017) e um Campeonato Mineiro. As três grandes taças igualam o atual presidente ao seu antecessor Zezé Perrella, que levantou duas Copas do Brasil e uma Libertadores na década de 90.

Juca Kfouri: Cruzeiro, um pentacampeão impecável

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos