Após 23 anos, Perrella conhece sua primeira derrota política no Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Vipcomm

    Após 23 anos, presidência não terá irmãos Perrella nem candidatos indicados por eles

    Após 23 anos, presidência não terá irmãos Perrella nem candidatos indicados por eles

A vitória de Wagner Pires na última segunda-feira vai interromper uma hegemonia e influência dos irmãos Perrella que já passava de 23 anos no Cruzeiro. Apesar de a cadeira principal estar ocupada por Gilvan de Pinho Tavares, o atual mandatário chegou ao cargo como vice de Zezé Perrella e por indicação do mesmo. Porém, a partir de 2018, nem Zezé e tampouco Alvimar, seu irmão, terá um presidente apoiado por eles no poder. Com a derrota de Sérgio Rodrigues, candidato da oposição, Zezé encarou seu primeiro revés em mais de duas décadas disputando eleições na entidade estrelada.

A dinastia da família Perrella teve início em 1995 quando Zezé ganhou sua primeira eleição. Sua trajetória no clube durou até 2002 e rendeu mais de dez taças, sendo a Copa Libertadores e duas Copas do Brasil como as mais importantes. Ao sair, passou o bastão para seu irmão, Alvimar, que começou com o pé direito, vencendo a inédita Tríplice Coroa. Alvimar esteve à frente da entidade até o ano de 2008, quando Zezé retornou e iniciou sua segunda passagem.

Em 2011, Zezé preferiu se dedicar integralmente à carreira política e optou por deixar o Cruzeiro. Antes de sair, deixou como sucessor Gilvan de Pinho Tavares, na época seu vice e eleito novo presidente do clube. Ali terminava a dinastia dos Perrellas na cadeira principal, mas não a influência e aliança dos irmãos com os principais homens da instituição.

Mais recentemente, Perrella, já como senador, chegou a anunciar sua candidatura para a disputa das eleições e assim buscar a presidência do clube pela terceira vez, sucedendo Gilvan. Contudo, acabou desistindo do pleito depois de ter seu nome envolvido nos desdobramentos da operação Lava Jato. Fora da briga, não apoiou a continuação da atual gestão e declarou seu apoio a Sérgio Rodrigues, mas não verá seu aliado comandando o clube a partir do próximo ano.

Eleição foi a mais apertada dos últimos anos

A vitória de Wagner Pires de Sá sobre Sérgio Rodrigues registrou a eleição mais apertada dos últimos anos no Cruzeiro. Em 2011, Gilvan, na época vice de Perrella, venceu o concorrente Alberto Rodrigues por 391 a 48. Três anos mais tarde, o mandatário foi reeleito de forma unânime e em chapa única. Já em 2008, Zezé Perrella iniciou sua segunda passagem pela entidade (já havia presidido entre 1995 e 2002) superando Márcio Rodrigues por 375 a 49.

Nova eleição marcada para o próximo mês

Apesar de ter seu candidato derrotado nas urnas, Zezé voltará a disputar uma eleição no próximo mês, agora para presidente do conselho deliberativo do Cruzeiro. O evento será realizado no dia 7 de novembro e Perrella tentará novamente superar um indicado de Gilvan, que dessa vez apoia Fernando Torquetti.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos