Brasileiros que jogaram pela Espanha comentam fala de Piqué e exaltam país

Do UOL, em São Paulo

  • Viveiros/Divulgação

    Revelado pelo Vasco, Donato (à esq.) se naturalizou e defendeu a seleção espanhola

    Revelado pelo Vasco, Donato (à esq.) se naturalizou e defendeu a seleção espanhola

O ex-jogador brasileiro Donato, que se naturalizou espanhol e defendeu a seleção europeia na década de 1990, criticou o zagueiro Gerard Piqué, do Barcelona, por declarações sobre atletas que atuaram pela Espanha sem terem nascido no país. Já Marcos Senna evitou entrar em polêmica, apesar de exaltar a Espanha. 

Piqué, que tem estado no centro de uma polêmica por sua posição política a favor da independência da Catalunha, afirmou que naturalizados "não sentem a seleção" como os espanhóis de sangue, ao explicar por que não via problema em jogar pela Espanha. "Está no meu DNA", disse ele.

À agência EFE, Donato rebateu a fala de Piqué. "A pessoa que fala sabe as consequências. Eu não concordo. Eu, com passaporte espanhol, se digo amanhã que não quero ser espanhol, então como vou vestir a camisa da seleção? Estaria jogando pedras em meu próprio telhado", avaliou o ex-zagueiro e volante brasileiro.

"Quando Piqué disse que há jogadores que têm o passaporte espanhol, mas não são espanholes e não têm amor à camisa, tem que falar por si mesmo. Não pode incluir a mim ou a Marcos Senna (volante campeão da Euro-2008 pela Espanha), que não somos espanhóis, mas defendemos as cores da Espanha", completou.

 O ex-volante Marcos Senna, que se naturalizou e defendeu a seleção espanhola entre 2006 e 2010 disse que Piqué é livre. "Me sinto cada vez mais espanhol. Agora mesmo, posso dizer que, desde que cheguei, cada dia me sentia um pouco mais espanhol. Agora, ja não tenho mais essa sensação, pois me sinto totalmente espanhol. Sou mais um daqui. 

"Me sinto cada vez mais espanhol. Agora mesmo, posso dizer que, desde que cheguei, cada dia me sentia um pouco mais espanhol. Agora, ja não tenho mais essa sensação, pois me sinto totalmente espanhol. Sou mais um daqui", garantiu o agora diretor de relações institucionais do Vilarreal. "Ele é livre para decidir se quer continuar ou não. O técnico disse que quer convocá-lo. Sendo assim, o único que deve decidir se quer seguir ou não, é ele", comentou.

Outro naturalizado da seleção espanhola, o meia Thiago Alcântara - nascido na Itália e filho do brasileiro Mazinho - não quis entrar em polêmica sobre a declaração de Piqué. A Espanha está concentrada para enfrentar Albânia e Israel pelas Eliminatórias da Copa de 2018.

"Enxergamos Gérard como sempre fizemos. Sempre que veio para a seleção foi com compromisso, atitude e alegria. É assim dentro do vestiário. Lamentamos, porque viemos aqui jogar futebol, não vim falar da vida de ninguém, nem da minha", disse o jogador do Bayern de Munique em entrevista coletiva.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos