Nova comissão do Inter aciona MP atrás de responsáveis por irregularidades

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeremias Wernek/UOL

    As contas do presidente Píffero (e) estão sob análise na gestão de Medeiros (d)

    As contas do presidente Píffero (e) estão sob análise na gestão de Medeiros (d)

O Internacional deu novo passo atrás das falhas financeiras cometidas na gestão 2015/2016. Nesta segunda-feira (02), uma reunião do Conselho Deliberativo aprovou o relatório que apontou 12 irregularidades já atestadas pela empresa Ernst & Young. Agora, uma nova comissão foi formada para ouvir os envolvidos. E será o Ministério Público que será responsável pelos próximos passos. 

Não será a nova comissão será responsável por confrontar os responsáveis pelas irregularidades com as notas sequenciais, questionar sobre a prestação de serviço sem contrato vigente ou ainda encontrar quais obras foram realizadas que justificassem os saques de dinheiro do clube. Mas sim o Ministério Público. O clube irá repassar o caso aos homens que tem poder para chamar os responsáveis para serem ouvidos. 

O presidente da nova comissão é Ubaldo Flores. O procedimento adotado por ele a partir desta terça-feira será entregar os relatórios ao MP e aguardar a montagem de sua comissão para tratar das questões internas do clube. 

"Estou triste pela exposição que o clube tem decorrente deste caso", disse o presidente Marcelo Medeiros. "Não há prazo, não há tempo determinado. Este processo de sindicância ainda é muito novo no clube. Mas vamos separar cada tipo de caso, cada peculiaridade e acompanhar tudo", disse o mandatário.

O conselheiro Roberto Siegmann já havia dito na saída da reunião que o MP seria responsável pelos próximos passos. Enquanto o presidente Marcelo Medeiros preferiu contemporizar. "Se for necessário, sim. Mas não está definido", disse. 

Medeiros, porém, alertou que não há tal definição. "Se for o caso, sim, pode ter participação do Ministério Público. Mas não há nenhuma indicação neste sentido", completou.

Ao fim da reunião, vaias e gritos vindos da sala do CD. A desavença no procesimento ocorreu porque os Conselheiros queriam indicar membros para comissão, que será formada pela mesa do conselho. As indicações podem acontecer,mas a escolha final é da mesa.

O caso da irregularidade financeira não está encerrado. Ainda irá demorar e não há prazo determinado. A partir de agora, ainda, o Ministério Público também será parte do caso. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos