Corinthians é acionado na Justiça pelo pai do atacante Carlinhos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

    Carlinhos foi liberado para defender o time sub-20 em jogos na Espanha

    Carlinhos foi liberado para defender o time sub-20 em jogos na Espanha

Nesta terça-feira, o Corinthians foi acionado na Justiça por Carlos de Lima, pai do atacante Carlinhos. O processo corre na 15ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo e é referente à falta de pagamentos dos alvinegros pela compra do jovem atleta. Em 2014, o Timão tirou a promessa do Novorizontino e deveria pagar R$ 500 mil em nove parcelas para ter 50% dos direitos econômicos pertencentes ao pai de Carlinhos e outras três partes envolvidas: as empresas Jr. Souza Esporte e Marketing e I-9 Sports Gestão, Consultoria e Intermediações de Negócios, além de José Antonio Domingos, um técnico de futebol.

O processo diz que o Corinthians entrou em acordo por "instrumento particular de cessão de direitos econômicos decorrentes de transferência de atleta profissional de futebol e outras avenças". Os documentos mostram ainda que o clube paulista se comprometeu a pagar uma parcela inicial de R$ 100 mil e outras oito de R$ 50 mil, mas a primeira parcela só foi quitada após notificações judiciais. Os pagamentos menores não foram efetuados no prazo estipulado entre setembro de 2016 e junho de 2017, os corintianos novamente foram notificados e depositaram mais R$ 100 mil às partes que agora entraram com o processo cobrando o valor total.

O cálculo de juros faz com que sejam cobrados R$ 336.418,90 do Corinthians. Na somatória dos valores, o pai de Carlinhos tem direito a receber 25%, enquanto a I-9 Sports ficará com 40%, a Jr. Souza com 20% e José Antonio Domingos com 15%. As partes ainda pedem a penhora de bens e contas dos alvinegros como forma de garantia de que a dívida será quitada.

Esse é o segundo processo contra o Corinthians envolvendo a contratação de Carlinhos. O Novorizontino, clube que revelou o atacante, aceitou vendê-lo em 2014 também por R$ 500 mil, em dez parcelas de R$ 50 mil. Apenas os dois primeiros pagamentos foram efetuados, motivando a equipe do interior paulista a procurar a Justiça. Os corintianos reconhecem o problema e, em julho, prometeram saná-lo. Agora, com o processo movido pelo pai de Carlinhos, o Timão ainda não se pronunciou.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos