Gerente de futebol Tinga comunica que deixará seu cargo no Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Gerente de futebol concedeu entrevista e comunicou que deixará o Cruzeiro

    Gerente de futebol concedeu entrevista e comunicou que deixará o Cruzeiro

A partir da temporada de 2018, Tinga não será maias o gerente de futebol do Cruzeiro. A situação desconfortável que o ex-jogador se encontrava no clube acabou se confirmando. Em uma entrevista concedida nesta manhã de sexta-feira, ele comunicou que seguirá trabalhando até dezembro, mas que não estará mais na gestão da entidade a partir do ano que vem.

"Quando vim para o Cruzeiro, assumi um compromisso com o presidente Gilvan de Pinho Tavares. Vou manter esse compromisso com ele e até dezembro ficarei aqui. Tenho um compromisso com os jogadores, comissão técnica, funcionários, que pra mim são os mais importantes. Tenho obrigação de ficar aqui até dezembro, também acredito que temos ambição dentro do Brasileiro, não podemos abrir mão disso. Quando você está em um clube como o Cruzeiro, você tem que querer ganhar sempre. Tenho muita gratidão pelo clube e procurarei fazer o meu melhor. Então, para finalizar, digo que fico até dezembro trabalhando da melhor forma com a comissão técnica e jogadores", iniciou.

O ex-volante é o segundo profissional a deixar o departamento de futebol celeste. O primeiro foi Bruno Vicintin, na última quarta-feira. Além disso, o presidente Gilvan também rompeu com Wagner Pires. O principal motivo que deixou conselheiros, diretores, torcida e até jogadores insatisfeitos foi a nomeação de Itair Machado para o futebol profissional, modificando sua estrutura. O ex-mandatário do Ipatinga foi indicado por Wagner e será o homem forte do Cruzeiro a partir de 2018. Tinga negou que esteja saindo por causa da chegada de Itair ou das mudanças no departamento de futebol e citou princípios como explicação para deixar o cargo.

"A partir de dezembro, me desligo, mas por causa dessas pessoas que estão entrando. Não conheço, então não podemos falar bem nem mal. Só tenho a agradecer ao Cruzeiro, tive orgulho de encerrar minha carreira como bicampeão brasileiro e de começar uma nova carreira também como campeão. Não estou deixando o Cruzeiro, estou acompanhando meus princípios. Quando cheguei aqui, sem muita experiência, encontrei pessoas que me ajudaram muito, o Guilherme Mendes, o Bruno Vicintin, o Klauss (Câmara), o Pedro (Moreira). Saio porque tenho princípios de gratidão que me acompanham em toda minha vida. Volto a ressaltar, não é nada contra quem está entrando, mas somente acompanhando meus princípios, é isso que vou levar na minha carreira", finalizou.

Além de Vicintin e Tinga, outros profissionais ainda estão com o futuro indefinido no Cruzeiro. É o caso de Pedro Moreira, supervisor de futebol, e Klauss Câmara, diretor de futebol. Outras mudanças nos departamentos de comunicação e marketing também serão realizadas.

Na comissão técnica, a situação de Mano continua complicada e a saída do treinador já é tratada como realidade. Neste momento, Mano está em São Paulo se recuperando de um tratamento de pele. Na semana que vem, o comandante receberá alta e é aguardado em Belo Horizonte para conversar sobre seu contrato que termina em dezembro. Desde que retornou ao Cruzeiro, no segundo semestre do ano passado, Mano contou com o apoio e confiança de Vicintin, Tinga e Klauss. Este pode ser mais um motivo para o técnico optar pela não renovação.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos