Quem é o pivô da crise que pode terminar com a saída de Mano do Cruzeiro?

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Andre Yanckous/AGIF

    Instabilidade política recente do Cruzeiro deixou Mano inclinado a deixar o clube em 2018

    Instabilidade política recente do Cruzeiro deixou Mano inclinado a deixar o clube em 2018

Dias após o pentacampeonato da Copa do Brasil, o Cruzeiro mergulhou em uma crise política que pegou muita gente de surpresa. As primeiras mudanças realizadas pelo presidente eleito Wagner Pires desagradaram muito membros da gestão de Gilvan de Pinho Tavares, incluindo o atual mandatário. Até agora já saíram dois homens-fortes do futebol e outros podem seguir o mais importante deles é Mano Menezes, que colocou sua permanência em xeque pela mudança de rumo política. Tudo porque Itair Machado chegou. 

Homem de confiança de Wagner Pires, Itair é ex-dirigente do Ipatinga e foi anunciado como vice-presidente de futebol. A mudança no departamento precipitou a saída de Bruno Vicintin, que ocupava a função, e Tinga, que anunciou na última sexta sua saída da gerência de futebol. Ainda que Wagner Pires e Itair queiram a manutenção de Mano Menezes, a saída dos superiores imediatos abala a confiança do treinador. Agora, quem é o homem que causou essa crise toda?

O início no futebol

Rubens Cavallari/Folhapress
Ipatinga em 2010; clube lançou Itair no futebol mineiro

Itair Machado começou sua carreira no futebol no fim da década de 1990 quando fundou o Ipatinga, em 1998. Em apenas três anos, o empresário tirou a equipe do Vale do Aço da Segunda Divisão do Mineiro (equivalente à terceira divisão) para a elite estadual. Em 2005, o clube levantou o título inédito diante do Cruzeiro, voltando ainda à final em 2006 e 2010, aí terminando como vice. No ano seguinte ao título estadual, Minas Gerais ficou pequena para o Ipatinga, que chegou à semifinal da Copa do Brasil. Em 2007, o clube viveu seu auge e foi vice-campeão da Série B, mas terminou em último sua única passagem pelo Brasileirão (em 2008) e nunca mais voltou.

Relação com Perrella

Na década passada, o Ipatinga se tornou uma filial do Cruzeiro, à época comandado pelos irmãos Perrella. Na final do Mineiro de 2005, inclusive, vários dos jogadores campeões pelo Ipatinga haviam sido emprestados pela equipe belo-horizontina. Ali começava uma amizade com Zezé Perrella que dura até hoje. Apesar da concorrência na recente eleição (Itair apoiou Wagner Pires, enquanto Perrella foi favorável a Sérgio Rodrigues), ambos poderão voltar a se encontrar em novembro, já que o atual senador é candidato para presidente do Conselho Deliberativo.

Queda, mudança de sede e retorno

Após o rebaixamento no Brasileirão de 2008, o Ipatinga de Itair Machado nunca mais foi o mesmo, passando a conviver com o descenso também no Campeonato Mineiro. O dirigente permaneceu na cadeira principal da equipe até 2013, mas antes de sair ainda tentou uma manobra que se transformou em novo fracasso. Sofrendo com as dificuldades financeiras, Itair aprovou a mudança de Ipatinga para Betim, na região metropolitana de BH. A troca não surtiu efeito, o clube não engrenou e o retorno ao Vale do Aço foi oficializado em novembro de 2014, quando o empresário já não estava mais à frente da equipe.

Polêmicas

Apesar dos pouco menos de 20 anos de carreira no futebol, Itair acumulou uma quantidade de polêmicas e dores de cabeça em todos esses anos. No melhor momento do Ipatinga, o cartola chegou a dizer que seu time era a segunda força de Minas Gerais, atrás somente do Cruzeiro. Porém, na administração da entidade, ele conviveu com processos e ações trabalhistas, além de constantes atrasos de salários. Em 2004, Itair ainda protagonizou a tentativa de anular um jogo por causa de eventuais erros de arbitragem. Anos mais tarde, foi acusado de tentativa de suborno a jogadores do Villa Nova-MG na véspera da partida que terminou em derrota e rebaixamento do Ipatinga.

Vida após o Ipatinga

Após deixar o Ipatinga no meio de 2013, Itair passou a residir em Belo Horizonte atuando como correspondente financeiro. Desde então, ele deixou de mexer com o futebol diretamente e chegou a comentar que não voltaria mais a trabalhar na área. Apesar disso, foi um dos cabos eleitorais na campanha de Wagner Pires, responsável por conseguir apoio e vencer as eleições para o triênio 2018-2020.

Próximos desafios

Mal chegou e ainda sequer efetivado como vice-presidente de futebol, Itair já encontra sérios problemas na política do clube. Depois de não conseguir segurar Bruno Vicintin e Tinga, o dirigente terá uma conversa decisiva na semana que vem para tentar renovar com Mano Menezes, que está inclinado a deixar o clube. Além disso, Itair ainda terá muito trabalho ao lado de Wagner Pires para evitar um efeito dominó com a saída de mais profissionais, seja no departamento profissional ou nas categorias de base.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos