Números mostram segundo turno às avessas do líder Corinthians

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • André Yanckous/AGIF

    Kazim foi titular contra o Cruzeiro e teve gol anulado no Mineirão

    Kazim foi titular contra o Cruzeiro e teve gol anulado no Mineirão

O Corinthians segue com vantagem confortável na liderança do Campeonato Brasileiro. São oito pontos à frente do segundo colocado Santos e já sem confronto direto com o rival para encurtar a distância. Mas o início irregular do segundo turno ligou o sinal de alerta no clube, que vê a instabilidade refletida em números.

"O Corinthians vinha sendo muito eficiente no primeiro turno, com poucas chances e sendo mortal. Continuamos criando situação. Mas tem jogos que não conseguimos criar, como contra o Vitória, e saímos chateados. Contra o Atlético-GO, criamos, mas perdemos. Saímos tristes pela derrota, mas felizes por termos criado. Tem que ter paciência para que as coisas voltem ao normal", projetou o lateral direito Fagner.

Aproveitamento

O primeiro turno corintiano beirou a perfeição. Em 19 jogos, foram 14 vitórias, cinco empates e nenhuma derrota, gerando aproveitamento de 80,7% dos pontos. Agora, depois de sete jogos do segundo turno, a marca foi reduzida a menos da metade: duas vitórias, dois empates e três derrotas, com aproveitamento de 38,1%. Se esse percentual de pontos conquistados for mantido nas 12 rodadas finais, o time pontuará mais 14 vezes, chegando a 69 pontos.

Com essa pontuação total, só seria possível ser campeão no Brasileirão de 2009, levando em consideração apenas as edições com 20 times e pontos corridos. Na ocasião, o Flamengo ficou com a taça com 67 pontos. Já se recuperar o aproveitamento do primeiro turno, o time de Fábio Carille chegará a 84, garantindo a maior pontuação da Série A desde a edição de 2004, com 24 times, e vencida pelo Santos com 89 pontos.

Ataque

Apesar de ter um estilo de jogo tachado como reativo e de contra-ataques, o Corinthians mostrou bom poder ofensivo no primeiro turno do Brasileirão. Com 32 gols marcados, o Timão teve o segundo melhor ataque da primeira metade da competição, perdendo apenas para o Grêmio: 32 a 35. Os gaúchos ocupavam a segunda posição ao fim da 19ª rodada. Nesse início de returno, os alvinegros viram o setor ofensivo despencar por problemas na criação e balançou as redes somente quatro vezes. É o segundo pior ataque do segundo turno, atrás apenas do Sport, com um tento, e empatado com o Coritiba. 

Defesa

A média de gols sofridos no primeiro turno foi inferior a 0,5 por partida: nove em 19 atuações. A marca deixou o time de Carille com a melhor defesa disparada, com o segundo colocado no quesito com quatro gols sofridos a mais - o Santos, então terceiro colocado. Só nas sete primeiras rodadas do returno, o Corinthians já foi vazado seis vezes - 66,6% de todo turno inicial - e vê o rival santista encostar na briga pela melhor defesa. O time de Carille levou 15 gols, contra 16 dos comandados de Levir Culpi.

Nem cá, nem lá

Para ter a campanha impressionante do primeiro turno, os corintianos precisaram da mesma eficácia em Itaquera e longe de casa. Como mandante, em dez jogos, o aproveitamento foi de 80%. Como visitante, em nove embates, de 85,2%. E o desempenho atual mostra que, assim como a ascensão, a queda do segundo turno também foi generalizada. Em casa, com três jogos, o aproveitamento é de 33,3%. Longe da Arena, em quatro atuações, é de 41%. O Vitória, por exemplo, jogou como visitante quatro vezes no returno, venceu todas e deixou a zona de rebaixamento para ser o 11º colocado. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos