"Mentira absoluta", diz meia do Peru sobre suposto acordo com a Colômbia

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Falcao conversa com jogador peruano no fim do duelo de terça

    Falcao conversa com jogador peruano no fim do duelo de terça


O meia Renato Tapia se irritou com as acusações de que Peru e Colômbia combinaram uma espécie de "pacto de não agressão" nos minutos finais do empate por 1 a 1 entre as duas seleções na última terça-feira em Lima. O resultado deu uma vaga direta aos visitantes no Mundial da Rússia e colocou os donos da casa na repescagem.

Imagens de jogadores das duas equipes conversando ao pé do ouvido foram publicadas pela imprensa de outros países sul-americanos, em especial o Chile, que com a derrota para o Brasil no Allianz Parque e a igualdade na capital peruana, acabou eliminado.

Para completar, o próprio Tapia deu combustível às insinuações ao declarar que sabia os resultados dos outros jogos quando ainda estava em campo e que a partida "foi conduzida da forma que tinha que ser conduzida".

Inconformado com o assunto, o meia peruano que atua pelo Feyenoord, da Holanda, resolveu fazer um post no Facebook e classificou o suposto acordo como uma "mentira absoluta". "Incomoda muito porque desvaloriza o esforço e sacrifício que tivemos durante toda a partida contra um grande rival que é a Colômbia", desabafou.

Já sobre as suas declarações, Tapia disse que quando analisou a forma como o jogo foi conduzido "estava se referindo unicamente ao aspecto emocional que o pais vivia e que a responsabilidade recaía sobre uma equipe jovem como a nossa".

Sem jogar uma Copa do Mundo desde 1982, o Peru enfrenta a Nova Zelândia em novembro na repescagem. A data dos duelos de ida e volta ainda não foram anunciadas pela Fifa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos