Briga, falta dura e até máscaras. Lembre as expulsões da carreira de Neymar

Do UOL, em São Paulo

Jogador mais caro da história do futebol, Neymar repetiu neste domingo (22) uma cena recorrente em sua carreira como atleta. No primeiro clássico entre Olympique de Marselha e PSG de sua carreira, o brasileiro foi expulso após sofrer uma falta e empurrar Ocampos, o responsável por derrubá-lo em campo.

O camisa 10 havia recebido um cartão amarelo dois minutos antes e foi advertido novamente pela arbitragem, o que resultou em sua primeira exclusão com a camisa do clube francês.

A cena que ocorreu no Vélodrome, em Marselha, não foi inédita na carreira do brasileiro. Expulso diversas vezes desde que se profissionalizou, o atacante formado no Santos protagonizou um caso semelhante em 2013, quando ainda atuava no Brasil.

Em um jogo do Campeonato Paulista no Moisés Lucarelli, Neymar se desentendeu com o lateral direito Artur após uma bola alçada na área da Ponte Preta. O então atleta do Santos teve seu rosto segurado pelo adversário, mas se desvencilhou com um tapa. Na sequência, foi empurrado por outros atletas da equipe de Campinas e caiu no chão. O árbitro Luis Flávio de Oliveira deu vermelho direto para ambos os atletas.

Pelo clube paulista, no entanto, o incidente mais parecido com o deste domingo foi em 2012. Em um jogo do Campeonato Brasileiro contra o Grêmio, o atacante recebeu um amarelo por reclamação e, posteriormente, se enrolou com Pará em uma disputa de bola no meio-campo. A arbitragem decidiu advertir ambos os jogadores, resultando no vermelho para o santista.

Vestindo a camisa da seleção brasileira, Neymar foi expulso após o final do jogo entre Brasil e Colômbia na Copa América de 2015. Desapontado com a derrota por 1 a 0, o jogador chutou a bola para a frente depois do apito final e atingiu as costas de Armero, que desabou no gramado. O zagueiro Murillo foi tirar satisfações, abraçando o brasileiro. Irritado, Neymar tentou (e errou) uma cabeçada, o que começou uma confusão generalizada – com direito a um empurrão de Bacca no camisa 10.

O árbitro Enrique Osses acompanhou o entrevero e decidiu exibir o vermelho para Neymar e Bacca, mesmo após o apito final.

Falta dura e máscara

O "repertório" de expulsões de Neymar vai além de incidentes semelhantes ao que resultou no vermelho contra o Olympique. O mais peculiar foi na Copa Libertadores de 2011, pelo Santos.

O início da campanha que resultaria no tricampeonato continental do clube alvinegro foi turbulento, pois os dois primeiros jogos foram empates contra Deportivo Táchira e Cerro Porteño. Na Vila Belmiro, precisando de uma vitória contra o Colo-Colo, o Santos fez 3 a 0 com um golaço do camisa 11, que comemorou vestindo uma máscara dele próprio.

Pela celebração, o árbitro Roberto Silveira aplicou um cartão amarelo no atacante, o segundo dele no jogo, resultando na exclusão. O Santos acabaria vencendo o confronto com emoção, já que o Colo-Colo reagiu, mas perdeu por 3 a 2.

Já em abril desde ano, ainda no Barcelona, Neymar deu uma entrada desleal no zagueiro Diego Llorente em uma partida do Campeonato Espanhol. O camisa 11 do Barça arrancou pela esquerda, mas perdeu o controle da bola e solou o defensor adversário, sendo expulso de forma direta.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos