Juiz do dérbi já irritou os dois rivais; Palmeiras até foi à CBF reclamar

Diego Salgado e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Thiago Ribeiro/AGIF

    Recentemente, Daronco se envolveu em polêmicas com os dois rivais paulistas

    Recentemente, Daronco se envolveu em polêmicas com os dois rivais paulistas

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu Anderson Daronco como o árbitro responsável por apitar o clássico de domingo entre Corinthians e Palmeiras, decisivo para a disputa pela ponta do Campeonato Brasileiro. O nome do gaúcho, em um passado recente, já irritou os dois lados do tradicional dérbi.

A maior insatisfação veio do lado palmeirense, que até fez nota oficial para reclamar do juiz. Em 2014, após empate por 2 a 2 com o Flamengo, o clube entrou com um pedido de afastamento e exigiu a reciclagem do árbitro do Rio Grande do Sul. O então presidente Paulo Nobre, pessoalmente, reuniu-se com Marco Polo Del Nero na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) para reclamar da atuação de Daronco. No Corinthians, atuações recentes do gaúcho irritaram a diretoria.

"Ele é quem deve avaliar as suas atuações anteriores e não errar mais. Ao menos é um árbitro experiente. Só espero que tenha uma boa arbitragem e que não tenha nenhuma interferência no resultado final", declarou o diretor de futebol Flávio Adauto, em conversa com a reportagem do UOL Esporte.

O Palmeiras, que não se pronunciou sobre a escalação de Anderson Daronco até o fechamento desta reportagem, reclamou de dois lances específicos no jogo com o Flamengo de 2014: um toque de mão de Eduardo da Silva no segundo gol flamenguista e um pênalti não assinalado no atacante Henrique, hoje no Fluminense.

Um ano depois do protesto formal e da visita de Nobre a Marco Polo Del Nero, uma nova atuação de Daronco desagradou aos palmeirenses. Apesar da vitória sobre o Fluminense e a classificação à final da Copa do Brasil de 2015, vencida posteriormente pelo time alviverde, o diretor de futebol Alexandre Mattos questionou as decisões do gaúcho.

"É bom falar da arbitragem quando ganha, né? Porque o que aconteceu no Maracanã refletiu aqui hoje [o Fluminense reclamou da arbitragem no primeiro jogo]. Ele [Daronco] não deu o pênalti no Barrios, que era para matar o jogo, o que evitaria esse sofrimento todo. E ainda era para expulsar o jogador. Erros básicos. O que aconteceu no Maracanã, refletiu aqui. Isto não pode acontecer", vociferou Mattos, na zona mista do Allianz Parque.

Neste ano, no entanto, o árbitro passou longe de polêmicas do lado alviverde. Foram três partidas da equipe alviverde apitadas por Daronco no Brasileirão deste ano: vitórias sobre Fluminense (1 a 0, no Rio de Janeiro) e Avaí (2 a 0, em São Paulo) e derrota por 2 a 0 no clássico contra o São Paulo, no Morumbi. No clássico, inclusive, o gaúcho apitou um pênalti em Jean que gerou reclamações dos são-paulinos.

Em relação ao Corinthians, a arbitragem comandada por Daronco cometeu três erros no segundo turno do Brasileirão do ano passado. Nas três oportunidades, o árbitro validou gols irregulares dos adversários do time alvinegro. 

O primeiro equívoco aconteceu na partida contra o Fluminense, dia 25 de setembro, em Itaquera. O meia Cícero marcou o único gol do duelo no fim, em lance marcado por impedimento. Um mês depois, Guerrero, em posição irregular, foi às redes no empate por 2 a 2 entre Flamengo e Corinthians no Maracanã. Em novembro, o Figueirense arrancou um empate com o Corinthians em casa após Rafael Moura marcar. O atacante também estava impedido.

Outro lance polêmico envolvendo Daronco ocorreu no clássico Corinthians e Santos, no começo de junho, em Itaquera. Romero fez 1 a 0 para o time da casa, mas o árbitro, com a ajuda do auxiliar, anulou o gol assinalando impedimento. A equipe corintiana, apesar disso, venceu por 2 a 0 em duelo do Brasileirão deste ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos