Técnico do River ataca árbitro de vídeo: "serviu só para uma equipe"

Do UOL, em São Paulo

  • Juan Mabromata/AFP

O técnico do River Plate, Marcelo Gallardo, fez fortes críticas ao uso de árbitro de vídeo durante a semifinal da Copa Libertadores, na última terça-feira (31), na Argentina. O Lanús conseguiu a classificação depois de duas intervenções do aparato de tecnologia, incluindo a marcação de um pênalti que selou a vitória por 4 a 2. Clique aqui e assista aos melhores momentos do jogo.

O River reclama que houve um pênalti em seu favor ainda no primeiro tempo, mas que a arbitragem não assinalou e também não pediu auxílio do vídeo.

"Nós não vamos desviar a responsabilidade, falhamos porque tínhamos o resultado a favor. Mas então houve polêmicas em que eles decididamente falharam no uso da tecnologia. É difícil saber se ele (árbitro de vídeo) vai ser usado para uma equipe ou ambos. Não sei qual é a explicação que eles vão dar agora. Tudo o que eles explicaram foi inútil, serviu para um time e nada mais", disse Gallardo.

O presidente do clube de Buenos Aires também reclamou da arbitragem, mas afirmou que não reclamará na Conmebol. "River não fará nenhuma representação. É uma enorme mentira. A tecnologia foi usada só para um lado, isso foi claro", declarou Rodolfo D'Onofrio pelo Twitter.

A primeira aparição da tecnologia na história da Libertadores aconteceu no gol de empate (2 a 2) do Lanús, marcado logo no começo do segundo tempo, por Sand. Ele aproveitou uma sobra de bola na área e finalizou para as redes. O árbitro Wilmar Roldán pediu o auxílio do vídeo para determinar se o jogador estava impedido e validou o gol.

Aos 23min, já com 3 a 2 no placar, novamente o árbitro de vídeo foi protagonista: Montiel puxou Pasquini dentro da área e, após rever o lance na televisão, Wilmar Roldán marcou a penalidade. Alejandro Silva converteu e fez o gol da classificação histórica do time da casa. Nas duas consultas ao vídeo, o sistema eletrônico acertou.

O River cita o pênalti que Scocco teria sofrido, considerando que a interferência do árbitro de vídeo ajudou apenas um lado. Clique aqui e assista ao lance polêmico.

"Era uma das coisas mais difíceis fazer o gol do visitante. Prefiro que um árbitro esteja errado, e não sete. É difícil saber se vai ser usado para uma equipe ou para ambas as equipes. Mas nossas dúvidas geraram uma recompensa por eles. Nós não nos desviamos de responsabilidade", atacou Gallardo.

O Lanús, que havia perdido a primeira partida por 1 a 0 e levou dois gols do River no começo do jogo de terça-feira, agora espera o vencedor de Grêmio e Barcelona-EQU para conhecer o adversário da decisão. A equipe brasileira venceu por 3 a 0 no Equador e tem a vantagem de perder por até dois gols de diferença para avançar no jogo desta quarta-feira em Porto Alegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos