Com participação de Deco, Atlético-MG deve negociar Gabriel em janeiro

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Reprodução Instagram

    Gabriel é empresariado por Deco e já recebeu sondagens de clubes europeus

    Gabriel é empresariado por Deco e já recebeu sondagens de clubes europeus

Para faturar R$ 296 milhões em 2018, como previsto no orçamento que será avaliado pelo Conselheiro Deliberativo, o Atlético-MG precisa vender jogadores. A meta da próxima temporada é fazer R$ 50 milhões em vendas e empréstimos de atletas, quase 20% do total que o clube pretende arrecadar. E o primeiro nome da lista dos possíveis negociáveis é o do zagueiro Gabriel, de 22 anos.

O Atlético já sabe que algumas propostas vão chegar por seu titular mais jovem. O clube mineiro, aliás, já rejeitou algumas investidas de equipes europeias durante 2017. Primeiro foi o Hamburgo, da Alemanha, depois o francês Bordeaux e, por último, o Genoa, da Itália. No entanto, nenhuma das propostas foi acima de 4 milhões de euros.

Para 2018, o clube mineiro espera receber ofertas bem mais vantajosas. Tanto que Gabriel assinou um novo contrato, estendendo o vínculo com o Atlético até dezembro de 2021. O acordo anterior era até o fim do ano que vem. Além da prolongação do vínculo, Gabriel ganhou um bom reajuste salarial e, portanto, a multa para clubes interessados ficou maior.

As propostas por Gabriel vão chegar via Deco. O ex-jogador, com passagens por Barcelona e Chelsea, se tornou um influente agente no mercado europeu. Ele também é o responsável por cuidar da carreira de Gabriel. Até poucos meses atrás, Deco era apenas um parceiro de Frederico Faria, então empresário de Gabriel. Agora, o brasileiro naturalizado português é o principal agente do zagueiro.

Na semana passada, Deco esteve em Belo Horizonte. Gabriel garantiu que foi apenas um encontro de rotina, sem nenhuma proposta, mas o agente já sabe que alguns clubes europeus querem o zagueiro para o começo de 2018. O empresário e o Atlético receberam algumas sondagens, que devem evoluir nas próximas semanas.

"Minha cabeça está no Atlético. O Deco é o meu empresário, não é representante de nenhum outro clube. Ele veio a Belo Horizonte para ter uma conversa comigo, já que ficou um tempo viajando. Veio para a gente almoçar, mas não tem nada concreto. Minha cabeça está no Atlético e estou muito feliz aqui. Ainda quero fazer história com essa camisa", comentou Gabriel.

Titular do Atlético há um ano e elogios de Tite

Existe uma explicação para as baixas propostas que o Atlético recebeu por Gabriel nos primeiros meses de 2017. O zagueiro tinha poucos jogos na equipe principal, já que até metade da temporada 2016 ele apenas a quinta opção entre os defensores atleticanos. Com lesões de companheiros e algumas negociações, Gabriel se tornou titular do Galo na reta final do ano passado, em outubro.

Entrou no time para não sair mais. Mesmo disputando posição com alguns atletas renomados, o jovem Gabriel foi mantido na equipe principal por todos os três treinadores do Galo em 2017 – Roger Machado, Rogério Micale e Oswaldo de Oliveira. A bagagem de quem atuou praticamente durante a temporada, incluindo jogos internacionais, faz de Gabriel um potencial alvo do futebol europeu na próxima janela, que se abrirá em janeiro de 2018.

Os questionamentos que existiam por parte da torcida nos primeiros jogos já não têm força. Gabriel tem feito bons jogos, apesar do ano ruim do Atlético, que montou um elenco para brigar por títulos e sequer figurou entre os sete melhores colocados do Campeonato Brasileiro. Além das boas atuações, o zagueiro atleticano ganhou ainda projeção após ser elogiado por Tite, o técnico da seleção brasileira.

"O Gabriel, do Atlético Mineiro, é a versão Marquinhos jogando no futebol brasileiro", disse o treinador, no primeiro semestre de 2017.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos