Atacante francês do PSG é brigado com técnico e vive de férias no clube

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

  • Jeff Gross/Getty Images

São sete meses sem jogar. Pior do que isso. Dias sem treinamentos ou acompanhando o time B. O atacante francês Hatem Ben Arfa, do Paris Saint-Germain, vive no clube como se estivesse em férias remuneradas. Desafeto do treinador Unai Emery, ele não tem a mínima chance de figurar na lista de relacionados para os jogos, nem sequer sendo inscrito para a Liga dos Campeões. Algo que também não o impediu de procurar outro clube.

Ben Arfa vai a todos os jogos do PSG no Parque dos Príncipes apenas como espectador de camarote. Foi assim que chamou atenção ao lado de Neymar na semana passada, durante o triunfo por 3 a 0 diante do Nice – o camisa 10 não atuou por cumprir suspensão -, pelo Campeonato Francês. Afinal, qual o cenário de Ben Arfa no clube?

O atacante de 30 anos foi destaque no Nice na temporada 2015/2016 no Campeonato Francês ao marcar 17 gols, com o time terminando na quarta colocação. Livre no mercado, o jogador aceitou o alto salário de cerca de 400 mil euros por mês do PSG por um contrato até julho de 2018. A expectativa criada era de um duelo com Edinson Cavani pela vaga de titular no ataque.

Ben Arfa teve bom início. Fez gol na estreia pelo time em agosto de 2016 na vitória sobre o Lyon por 4 a 1, pelo Campeonato Francês. Só que em pouco tempo, notícias de indisciplina, como atrasos em treinamento e discussões com Unai Emery começaram a aparecer na imprensa francesa. Coincidentemente, ou não, a ausência em convocações para jogos passou a ser frequente.

A discussão mais pesada com o técnico aconteceu ainda em 2016. Em um treinamento, cansado com o comportamento considerado indolente e preguiçoso, o treinador disparou ao atacante: "Você não é Messi. Se fosse, não te repreenderia".

Dias depois, a diretoria do PSG tentou solucionar o caso com sucessivas reuniões com o empresário e o advogado do atacante. A intenção de rescisão contratual irritou o jogador. Nenhum acordo sem o pagamento total do salário restante até o fim do contrato e multa por quebra de acordo foi considerado. Ben Arfa, assim, optava por permanecer encostado no clube.

Sem reverter o relacionamento ruim com Unai Emery, Ben Arfa fez apenas 12 jogos pelo PSG na temporada passada. Foram quatro gols marcados. E a última atuação em abril, diante do pequeno Avranches, pelas quartas de final da Copa da França – PSG venceu por 4 a 0 -.

Sem chances na reta final da temporada, a expectativa da imprensa francesa era de que Ben Arfa deixasse o clube em julho durante a janela de transferências. Propostas da Turquia e China foram recusadas pelo atacante até o anúncio surpreendente em conta pessoal no Instagram: "Me quedo (Eu fico)", escreveu brincando com a famosa foto de PIqué noticiando a falsa permanência de Neymar no Barcelona. A de Ben Arfa, por incrível que pareça, era verdade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos