Clássico no PE tem agressão a árbitro famoso por erro contra Corinthians

do UOL, em São Paulo

  • Marlon Costa/Estadão Conteúdo

    Derley disputa lance no jogo entre Santa Cruz e Náutico na Série B

    Derley disputa lance no jogo entre Santa Cruz e Náutico na Série B

O árbitro Thiago Duarte Peixoto, 37, foi duramente criticado na saída de campo, após o clássico pernambucano entre Santa Cruz e Náutico, neste sábado (4), pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Marcou um pênalti polêmico nos acréscimos, enquanto a partida ainda estava empatada, e deixou de sinalizar outro pouco tempo depois.

Peixoto é o mesmo juiz que foi suspenso após expulsar o volante Gabriel, do Corinthians, contra o Palmeiras, no dérbi de 22 de fevereiro, pelo Campeonato Paulista. Ele foi condenado pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) a ficar 60 dias afastado por errar neste lance da partida —só voltou a apitar em maio deste ano.

Neste sábado, enquanto o jogo das duas equipes de Pernambuco estava 2 a 2, aos 45 minutos da etapa final, o juiz sinalizou uma falta do goleiro Julio César, do tricolor pernambucano, no atacante William dentro da área.

A marcação da infração revoltou os jogadores do Santa Cruz, que reclamaram muito, e a partida foi paralisada. O pênalti só foi batido aos 49 min. William converteu e tirou a igualdade do placar, fazendo 3 a 2 para os alvirrubros.

Após a cobrança, Peixoto concedeu ainda mais tempo aos acréscimos na partida. Na saída de bola, o Santa Cruz, então, foi ao ataque. Augusto foi derrubado na área do Náutico, mas o árbitro, dessa vez, não marcou o pênalti.

A decisão do juiz revoltou os jogadores da equipe tricolor. O meia Derley avançou contra o juiz, chegou a acertar uma cabeçada e foi expulso logo depois. A partida voltou a ficar paralisada e retornou com mais dois minutos adicionais, antes da vitória do Náutico ser confirmada.

"Eu nunca dei carrinho para derrubar o jogador. O árbitro é fraco. Ele errou no jogo do Corinthians. A gente sabe que ele é fraco", criticou o arqueiro Julio César, do Santa Cruz, após o final da partida.

Tragédia familiar

No início do ano passado, Peixoto sofreu uma tragédia na família depois de sua mulher morrer pelo vírus da gripe H1N1. Dois dias antes da morte, Gabriela Maia Peixoto, que estava no sétimo mês de gestação, deu à luz Gael.

 "É um aprendizado errar num clássico. Em um jogo de importância dessas. Foi o que escolhi para mim. Já passei por momentos delicados na vida pessoal e agora na vida profissional. Espero com muita fé e força de vontade continuar a carreira. Espero do fundo do meu coração que a minha carreira continue", chegou a dizer após a partida entre Corinthians e Palmeiras, em fevereiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos