Média de gols despenca, e Guerrero vê crise explodir com doping e críticas

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Thiago Ribeiro/AGIF

    Atacante Paolo Guerrero vive inferno astral no fim da temporada

    Atacante Paolo Guerrero vive inferno astral no fim da temporada

O ano de 2017 de Paolo Guerrero se desenhava histórico. Em boa forma, acumulava gols, batia recordes e se mostrava o grande nome do Flamengo na temporada. Paralelo a isso, conduzia a seleção do Peru em uma campanha que pode levar ao sonhado retorno à Copa do Mundo. O bom desempenho do primeiro semestre, no entanto, não se repetiu na segunda metade do ano.

A média de gols despencou. Após marcar 16 gols em 26 jogos nos primeiros seis meses, Guerrero, viu a média de 0,61 gols por jogo cair para 0,22 gols por jogo – foram apenas quatro gols em 18 jogos no segundo semestre. As críticas eram inversamente proporcionais aos gols recentes. Na tarde da última sexta-feira (3), o que já era delicado piorou: a suspensão por conta de um doping.

O camisa 9 testou positivo para uma substância proibida no penúltimo jogo pelo Peru, contra a Argentina, em La Bombonera, pelas Eliminatórias para a sonhada Copa do Mundo. A crise explodiu. A Fifa suspendeu o atleta provisoriamente por 30 dias, tirando-o dos duelos decisivos pela repescagem rumo ao Mundial da Rússia e pela Copa Sul-Americana, com o Flamengo. O time rubro-negro também não terá o atacante por seis jogos no Campeonato Brasileiro.

A notícia agora ameaça até o futuro de Guerrero. Em negociações para renovar o bom contrato que tem com o Rubro-negro, ele ainda não sabe o que será da carreira.

Apesar de alegar, juntamente com os peruanos, o uso de um descongestionante para combater uma gripe, a substância verificada na urina de Paolo foi enquadrada na classe "S6 estimulantes" na lista da Agência Mundial Antidopagem e pode acarretar em suspensão de um a quatro anos.

Guerrero se recuperava de um edema no músculo posterior da coxa esquerda que o deixou de fora dos últimos quatro jogos do Flamengo. Ele chegou a treinar na manhã desta sexta-feira no Ninho do Urubu e vivia a expectativa de ser relacionado para a partida deste domingo, contra o Grêmio, em Porto Alegre (RS), pelo Campeonato Brasileiro.

A seleção peruana queria que Guerrero e o lateral esquerdo Trauco se apresentassem já nesta sexta-feira visando a partida pela repescagem da Copa do Mundo contra a Nova Zelândia, mas o Flamengo não os liberou alegando que ainda não estava no prazo da Fifa. Com isso, ficou combinado de que eles viajariam para Lima (PER) depois do jogo diante do Grêmio. Guerrero, no entanto, está fora dos dois compromissos. E assim ficará até 3 de dezembro, sem saber se voltará a jogar futebol em 2017.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos