Preso por bomba em ônibus do Borussia planejava outros ataques

Do UOL, em São Paulo

  • Carsten Linhoff/dpa via AP

    Explosivos haviam sido colocados ao longo da estrada onde o ônibus passou

    Explosivos haviam sido colocados ao longo da estrada onde o ônibus passou

Preso acusado de tentativa de homicídio por ter atacado a bombas o ônibus do Borussia Dortmund em abril, quando o time alemão estava a caminho de uma partida contra o Monaco, pela Liga dos Campeões, da Europa, Sergej W. tinha em mente a realização de mais crimes de acordo com investigação do Ministério Público do país divulgada pela revista Spiegel. 

De acordo com o relatório a que a publicação teve acesso, o autor dos ataques de abril planejava ganhar dinheiro com a especulação no mercado de ações e buscava alvos para atacar para, então, dirigir a suspeita a terroristas islâmicos. Sergej também já havia pesquisado na internet empresas que operam teleféricos na Alemanha e seus preços de ações durante a organização de um possível novo atentado. 

Em abril, três explosivos foram detonados ao lado do ônibus do Borussia e feriram o zagueiro Marc Bartra e um policial. Segundo os investigadores, não houve mais vítimas porque um erro na instalação das bombas impediu maior efeito. A ideia de Sergej com o crime era ganhar dinheiro com a queda no preço das ações do clube alemão. Ao mesmo tempo deste ataque, ele já planejava novos atos. "W. procurou um novo alvo para conseguir lucros", conclui o relatório.

Sergej W., também de acordo com a investigação, fazia tratamento para transtornos de ansiedade, depressão, distúrbios de personalidade e bipolaridade. O responsável pelo ataque tem 28 anos, dupla cidadania alemã-russa e trabalhava como eletricista antes de ser preso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos