Suspeito de mensalão, Eurico tenta reeleição no Vasco e encara 2 opositores

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Divulgação

    Julio Brant (e), Eurico Miranda (c) e Fernando Horta (d) disputam presidência do Vasco

    Julio Brant (e), Eurico Miranda (c) e Fernando Horta (d) disputam presidência do Vasco

A tão aguardada eleição do Vasco, enfim, chegou. A partir das 9h desta terça-feira, em São Januário, os candidatos Fernando Horta, Julio Brant e Eurico Miranda - que tenta a reeleição - disputam a presidência do clube para o próximo triênio. O pleito, como de praxe no clube, está cercado de polêmica e 691 sócios sob suspeitas de irregularidades terão de votar em urnas separadas para fiscalização.

Aliados de Brant, os ídolos Edmundo, Felipe, Pedrinho e Mauro Galvão prometem comparecer e fazer o corpo a corpo. Pelo lado de Horta, sua escola de samba, Unidos da Tijuca, também se fará presente e animará os vascaínos.

Ao todo, 10.494 vascaínos estão aptos a voto. Na eleição de 2014, vencida por Eurico Miranda, 5.592 pessoas exerceram seus direitos e bateram o recorde de votação da história do clube. Para este ano, a estimativa é de que o comparecimento gire em torno deste número. A votação irá até às 22h e os sócios passarão por três checagens até chegar à urna para depositar a cédula do candidato. No último pleito, a apuração varou a madrugada.

Vale lembrar que a eleição do Vasco acontece de forma indireta, ou seja, a chapa vencedora tem o direito de indicar 120 conselheiros, enquanto a vice emplaca mais 30. Estes 150 se juntam aos 150 conselheiros natos e os 300 votam pelo presidente cruzmaltino em cerimônia fechada na sede da Lagoa.

A data para a votação no Conselho Deliberativo ainda não foi divulgada, mas costuma ser na semana seguinte ao pleito. Opositores, no entanto, acreditam que, em caso de derrota de Eurico nas urnas, a eleição fique agendada para janeiro de 2018, mês em que ocorre a troca caso outro candidato vença. Miranda, porém, é considerado o favorito nas pesquisas para vencer.

Série de ações na Justiça

A eleição do Vasco tem sido marcada por uma série de ações na Justiça. Na mais efetiva, determinou-se que 691 sócios com cadastros sob suspeita votem em urnas separadas com os dados confrontados.

No levantamento feito pela chapa "Mudança com Segurança", do candidato Fernando Horta, cerca de 5 mil sócios tiveram falhas apontadas em suas inscrições. Quase 4 mil, sem CPF, além de outros falecidos, sem endereços residenciais e oriundos de associações em massa em meses específicos.

A oposição também tentou, sem sucesso, impedir que 28 sócios fossem alçados aos status de beneméritos mês passado. Com a autorização judicial, eles poderão votar na eleição entre os conselheiros. Na última segunda (6), uma ação falhou na tentativa de adiar o pleito. A Justiça também determinou que a organizada Força Jovem terá que ficar a um raio de 2 km de São Januário.

OS CANDIDATOS

Eurico Miranda

Marcelo Sadio/Vasco.com.br

O candidato da chapa "Reconstruindo o Vasco" tenta sua reeleição. Figura emblemática entre os dirigentes do futebol brasileiro, obteve em seu retorno, neste triênio, um bicampeonato carioca (2015 e 2016). O cartola, no entanto, amargou um rebaixamento no Campeonato Brasileiro em 2015.

Entre seus principais feitos estão os patrimoniais. Ele reinaugurou o ginásio de São Januário, reformou o Parque Aquático e construiu o Caprres (Centro Avançado de Prevenção, Recuperação e Rendimento Esportivo), o moderno centro de saúde cruzmaltino. Alega estar diminuindo as dívidas do clube, mas as finanças vascaínas ainda são cercadas de mistério. O balanço de 2016, por exemplo, ainda não foi aprovado. Recentemente, o clube esteve com salários atrasados.

Fernando Horta

Bruno Braz / UOL Esporte

Empresário bem-sucedido, o presidente da escola de samba Unidos da Tijuca rompeu com Eurico Miranda e se licenciou do cargo de vice-presidente geral em agosto. Com ele, trouxe outros ex-aliados do atual mandatário, como o ex-vice de futebol José Luiz Moreira, o presidente do Conselho Fiscal, Otto de Carvalho, e o ex-gerente de futebol, Paulo Angioni.

O candidato da chapa "Mudança com Segurança" promete time de futebol competitivo, construção de um centro de treinamento para o Vasco e uma injeção no programa de sócios. No último mês, buscou alianças com os candidatos Julio Brant e Alexandre Campello, mas não chegou a um consenso e esbarrou em questões como divisões de cargo.

Julio Brant

Pedro Ivo Almeida/UOL

Executivo com passagens pelas construtoras Andrade Gutierrez e Odebrecht, Julio Brant tenta, pela segunda vez, ser presidente do Vasco. Em 2014, foi segundo colocado com 1.570 votos, o que lhe deu o direito de indicar 30 nomes ao Conselho. No fim do mês passado, costurou uma importante aliança com o ex-candidato Alexandre Campello e formou a chapa "Frente Sempre Vasco Livre". No acordo, foi decidido que Campello será seu vice-geral. Também promete a construção de um centro de treinamento e a modernização de São Januário. 

Brant conta com o apoio de ídolos do clube como Edmundo, Felipe, Pedrinho e Mauro Galvão que, inclusive, poderão ocupar cargos no departamento de futebol em caso de vitória nas urnas.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos