Caso Victor: Galo e Grêmio chegam a acordo e encerram pendências judiciais

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Thomás Santos/AGIF

    Victor chegou ao Atlético-MG em 2012

    Victor chegou ao Atlético-MG em 2012

Após quase cinco anos de cobranças e ações na justiça, o Atlético-MG e o Grêmio fizeram um acordo e encerram as pendências judiciais que envolviam os dois clubes, relativos à negociação que envolveu o goleiro Victor e o zagueiro Werley. Em junho de 2012 o clube mineiro comprou o arqueiro da equipe tricolor, mas não fez todo o pagamento do valor combinado. Motivo pelo qual o Grêmio acionou a equipe alvinegra na justiça. Por outro lado, o Galo questionava uma suposta dívida gaúcha referente ao empréstimo de Werley, para o Santos, na temporada 2015.

Na tarde desta quarta-feira a assessoria de imprensa atleticana divulgou uma nota, informando o acerto ocorrido entre as duas diretorias.

"O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e o Clube Atlético Mineiro vêm a público comunicar que, através de concessões mútuas, alcançaram um acordo para encerrar todas as pendências judiciais e arbitrais originárias de 2012 e que envolveram os direitos sobre os atletas Victor Leandro Bagy e Werley Ananias.

Com isso, os clubes agradecem os advogados dos clubes e todos que estiveram, direta e indiretamente, envolvidos em todas as etapas do complexo e vitorioso processo de negociação.

As Diretorias"

Relembre o caso

Victor trocou Porto Alegre por Belo Horizonte na metade de 2012. No negócio, o Grêmio recebeu Werley e mais um pagamento parcelado. No ano passado, a dívida ficou milionária. Neste ano, o Tricolor gaúcho entrou com pedido de execução da dívida. Depois, conseguiu penhora online das contas do Atlético-MG quando da venda de Lucas Pratto ao São Paulo.

O time paulista, contudo, fez o pagamento da primeira parcela antes de ser notificado judicialmente. Diante disso, o Grêmio pediu bloqueio das contas do Galo e levou. A Justiça também determinou que o novo pagamento da operação por Pratto fosse feito em juízo.

Paralelamente, o Grêmio também iniciou trâmite junto à CBF. Os advogados do time gaúcho pediram bloqueio de registros do Atlético-MG, conforme legislação nacional para casos de inadimplência entre clubes. O órgão da entidade máxima do futebol brasileiro pediu mais esclarecimentos e ainda não analisou a demanda.

No começo de agosto, o São Paulo depositou R$ 10 milhões em juízo, conforme determinação da Justiça, por conta do caso. O dinheiro partiu da venda de Luiz Araújo ao Lille, da França. O Tricolor paulista foi acionado por ter gerado receita ao Galo quando da transferência de Lucas Pratto.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos