Mapeamento feito por Gallo há dois anos pesou na escolha do Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Getty Images

    Alexandre Gallo será diretor de futebol do Atlético na próxima temporada

    Alexandre Gallo será diretor de futebol do Atlético na próxima temporada

A temporada 2018 do Atlético-MG promete ser diferente, pelo menos na montagem do elenco. Se nos anos anteriores o clube priorizou a contratação de jogadores renomados, a partir do ano que vem a filosofia para se reforçar promete ser diferente. Com um orçamento menor, o Galo vai apostar muito em jogadores formados em casa. Esse fator, inclusive, pesou bastante pela escolha de Alexandre Gallo para ser o próximo diretor de futebol alvinegro.

Gallo já tem um pré-contrato assinado, dependendo apenas do resultado da eleição que ocorrerá em 11 de dezembro. Caso Sérgio Sette Câmara, o candidato da situação e favorito para vencer o pleito seja mesmo o escolhido, ele já tomará posse da nova função. Embora seja nomeado como diretor de futebol, Gallo não vai atuar no mercado. A função dele vai ser cuidar da equipe profissional do Atlético e das categorias de base do clube.

Com menor poder de investimento para 2018, como previsto no orçamento da próxima temporada, o Atlético vai dar mais destaque aos jogadores formados em casa. Não só por atletas que já integram os times inferiores do clube, mas também na busca por promessas que estejam em outras equipes.

"Eu queria um diretor de futebol que não ficasse à frente das negociações com jogadores, que fosse um diretor técnico, que cuidasse do futebol, que cuidasse do futebol de base. O Atlético está precisando, e muito, revelar pratas da casa. E eu quero investir muito nisso também", disse Sérgio Sette Câmara em entrevista à Rádio Itatiaia, explicando um dos motivos para a escolha de Alexandre Gallo como diretor de futebol.

E Alexandre Gallo adquiriu muita experiência com jogadores de base. Um de seus últimos trabalhos foi para a Confederação Brasileira de Futebol. Gallo comandou algumas seleções jovens, criando um grande conhecimento do setor. A passagem durou cerca de 27 meses, entre 2013 e 2015, tempo suficiente para o então treinador mapear as categorias de base dos principais clubes do país.

"Talvez eu seja a pessoa com o melhor know-how em conhecimento de jogadores entre 17 e 23 anos. Fizemos um levantamento e este conhecimento é muito rico e dá possibilidade de você acompanhar muitos jogos, conversar com treinadores e presidentes de clubes. Sempre busquei entender o que estava acontecendo no trabalho de base e no sistema olímpico deles para aperfeiçoar o que a gente estava fazendo no Brasil", disse Alexandre Gallo, em entrevista concedida ao Jornal Hoje em Dia, em agosto de 2015.

Do atual elenco atleticano, pelo menos dez jogadores foram formados nas categorias de base do clube. Número que varia a cada semana, já que vários atletas são cedidos ao time sub-23, que disputou a Terceira Divisão do Campeonato Mineiro e neste momento participa do Campeonato Brasileiro da categoria.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos