Entre lesões e queda técnica, Abel usou oito volantes diferentes no Flu

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Thiago Ribeiro/AGIF

    Orejuela caiu de rendimento e foi para o banco de reservas do Flu

    Orejuela caiu de rendimento e foi para o banco de reservas do Flu

O técnico Abel Braga coleciona dificuldades para montar o seu Fluminense desde o início da temporada. Não bastasse o grupo recheado de jovens, o treinador tem convivido com muitos problemas de ordem médica.

Nenhuma posição no elenco tricolor, no entanto, variou tanto como a de volante. De janeiro a novembro, o Fluminense já colocou em campo nada menos que oito jogadores diferentes para a posição, que mudou de dono muito também por questões técnicas.
 
Na partida contra o Coritiba [empate por 2 a 2], a cara mais nova foi o de Mateus Norton, jogador criado nas divisões de base do Flu. Além do jovem, Wendel, Orejuela, Luiz Fernando, Pierre, Marlon Freitas, Douglas e Richard já foram testados.
 
Este último, aliás, chegou sem nenhum alarde e ganhou a vaga de Wendel, jogador que surpreendeu a todos no clube durante o primeiro semestre. Com o estiramento na panturrilha de Richard, Abel teve de mais uma vez mudar peças no setor, hipótese praticamente descartada para o jogo diante do Cruzeiro, domingo, às 19h, no Maracanã.
 
"Ele [Norton] deve continuar na equipe. Não vou mudar a formatação agora. Poderia ter começado com o Wendel contra o Coritiba, mas ficaria vulnerável. Se começamos totalmente ofensivos, não tem como mexermos se estivermos perdendo", afirmou Abel.
 
Quando chegou ao clube, o treinador deu indícios de que Douglas e Orejuela seriam titulares, mas ambos perderam terreno com o passar do tempo. Com uma artrite reativa que o tirou de combate por muito tempo, Douglas viu seus concorrentes subirem no conceito do comandante e retomou seu posto há pouco tempo. Já o equatoriano teve queda brusca de rendimento e o nome envolvido em rumores sobre um mau ambiente com os companheiros. 
 
Quando começava a despontar, Luiz Fernando rompeu os ligamentos do joelho direito. Pierre, por sua vez, passou por uma cirurgia no tornozelo e praticamente não atuou no ano. Mais "saudável" entre os colegas de posição, Marlon Freitas foi o único que não teve nenhum problema mais grave. O ano já está no fim e o Fluminense segue em busca de uma direção.
 
Os volantes do Fluminense em 2017
 
Douglas - 28 jogos e 1 gol
Luiz Fernando - 16 jogos e 3 gols
Marlon Freitas - 16 jogos e 1 gol
Mateus Norton - 14 jogos e zero gol
Orejuela - 48 jogos e 1 gol
Pierre - 8 jogos e zero gol
Richard - 13 jogos e zero gol
Wendel - 53 jogos e 6 gols
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos