Volante supera lesão e quer grande europeu, mas não esquece o Corinthians

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Guilherme em ação pelo La Coruña no Campeonato Espanhol

    Guilherme em ação pelo La Coruña no Campeonato Espanhol

Quem vê o ex-Corinthians Guilherme Torres titular absoluto no espanhol La Coruña nem imagina que o volante precisou de paciência nas últimas temporadas, quando atuou no futebol italiano. Sua saída da Udinese não foi das mais felizes: segundo o jogador, um erro médico o tirou de campo por 7 meses e fez até mesmo a possibilidade de um retorno mais cedo ao futebol brasileiro ser cogitado.

"Meu primeiro ano (temporada 2014/2015), por ser o primeiro na Europa foi bem diferente. Mas todo mundo elogiou. Depois veio o segundo ano e eu tive uma contusão mais grave por culpa de um procedimento errado. Um médico que foi fazer uma infiltração fez algo errado e eu peguei uma infecção no adutor da coxa direita. Acabei ficando 7 meses afastado e perdi a temporada. Depois disso voltei a treinar, mas doía muito ainda. Estava muito triste e quis novos ares. Pensei até em voltar ao Brasil, falei com meu empresário", relembrou Guilherme. O UOL tentou contato com a Udinese sobre o tema, mas não teve retorno.

O plano de retornar o Brasil foi freado por uma proposta de empréstimo do Deportivo La Coruña. Com o sonho de jogar o Campeonato Espanhol e encarar grandes jogadores, o volante aceitou o empréstimo e na temporada foi titular nos 12 jogos da equipe até agora e até já teve seu contrato renovado por 4 anos. Agora ainda pensa mais alto, em um time maior europeu.

"Eu tenho objetivo de tentar um time maior da Europa. Eu tenho muita responsabilidade pelo preço que pagaram por mim e por ser volante e eu gosto disso. Eu gosto muito do Espanhol, porque é um campeonato competitivo, a maioria dos times jogam mais bonito", comentou.

Mesmo sem pensar no momento em voltar ao Brasil, o volante não esquece o Corinthians, por onde passou de 2012 a 2014. O contato mais próximo é com o goleiro Cássio. "Eu falo mais com o Cássio. Ele sabe que eu torço por ele então estamos sempre em contato. Eu vou ao estádio, falo com o Cássio, ele me arruma ingresso", contou.

E nem os corintianos o esquecem. A cada visita à Arena, ele é reconhecido e recebe o carinho da torcida. "As pessoas ainda lembram de mim e é fruto do bom trabalho que eu fiz. Quando eu vou ao estádio, as pessoas pedem foto e é legal. Às vezes a gente sente falta disso. Até da cobrança da torcida eu tenho saudade, mas aquela cobrança pro lado bom", ressaltou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos