Topo

Futebol


Instabilidade de apostas faz Palmeiras ver plano para zaga de 2018 em xeque

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Juninho sofre drible de atacante do Vitória; zagueiro não se firmou e põe plano em xeque Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

15/11/2017 04h00

A instabilidade vivida por Juninho e Luan na zaga do Palmeiras coloca em xeque o planejamento feito pela diretoria para o setor defensivo em 2018. A ideia ao contratá-los era que ao menos um deles se estabelecesse como zagueiro que transmitisse confiança suficiente para ser titular. Só que isso está longe de acontecer. Caso o plano desse certo, a iminente saída de Yerri Mina seria minimizada.

Inicialmente, o colombiano tem um pré-acordo para ir ao Barcelona logo após a Copa do Mundo, mas a equipe catalã ainda não sinalizou que efetivará a preferência. Ainda assim, o atleta deve jogar na Europa mesmo em uma eventual desistência dos espanhóis. O estafe dele já conversa com a Sampdoria como plano B.

Thiago Ribeiro/AGIF
Luan fica no chão após dividida com Guerrero Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Além da saída do colombiano, os palmeirenses precisam se preocupar com a constante reposição que é necessária para Edu Dracena. O atleta tem uma rotina de treinos diferente dos demais por causa do desgaste sofrido pelo atleta de 36 anos.

Para se ter uma ideia da importância que foi dada à contratação de Luan, o Palmeiras topou receber o atleta machucado vindo do Vasco e operá-lo por conta para que a recuperação fosse feita já na Academia de Futebol. Sua contratação custou R$ 10 milhões, que foram pagos pela Crefisa.

Foi pelo mesmo valor que o clube também tirou Juninho do Coritiba. Contratado até 2022, ele chegou com destaque pela sua força, velocidade e polivalência por também poder atuar na esquerda. À época, ele chegou para substituir a venda de Vitor Hugo. Até aqui, ele confirmou a expectativa em poucos jogos.

Por enquanto, o único movimento do time para reforçar a zaga foi o de apostar mais uma vez. Emerson Santos foi contratado sem custos de negociação do Botafogo. Só em luvas, no entanto, a equipe pagou R$ 5,6 milhões.

Embora seja apontado como aposta, o atleta de 22 anos está no banco de reservas em General Severiano e fez só 14 jogos no ano. Ele foi titular pela última vez no ano no dia 20 de agosto, na derrota por 2 a 1 contra a Ponte Preta.

O clube ainda tem para a posição Antônio Carlos, que não deve seguir no Palmeiras em 2018, e Thiago Martins, que retorna de empréstimo do Bahia, mas também não tem seu aproveitamento garantido.

Mais Futebol