Instabilidade de apostas faz Palmeiras ver plano para zaga de 2018 em xeque

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

    Juninho sofre drible de atacante do Vitória; zagueiro não se firmou e põe plano em xeque

    Juninho sofre drible de atacante do Vitória; zagueiro não se firmou e põe plano em xeque

A instabilidade vivida por Juninho e Luan na zaga do Palmeiras coloca em xeque o planejamento feito pela diretoria para o setor defensivo em 2018. A ideia ao contratá-los era que ao menos um deles se estabelecesse como zagueiro que transmitisse confiança suficiente para ser titular. Só que isso está longe de acontecer. Caso o plano desse certo, a iminente saída de Yerri Mina seria minimizada.

Inicialmente, o colombiano tem um pré-acordo para ir ao Barcelona logo após a Copa do Mundo, mas a equipe catalã ainda não sinalizou que efetivará a preferência. Ainda assim, o atleta deve jogar na Europa mesmo em uma eventual desistência dos espanhóis. O estafe dele já conversa com a Sampdoria como plano B.

Thiago Ribeiro/AGIF
Luan fica no chão após dividida com Guerrero

Além da saída do colombiano, os palmeirenses precisam se preocupar com a constante reposição que é necessária para Edu Dracena. O atleta tem uma rotina de treinos diferente dos demais por causa do desgaste sofrido pelo atleta de 36 anos.

Para se ter uma ideia da importância que foi dada à contratação de Luan, o Palmeiras topou receber o atleta machucado vindo do Vasco e operá-lo por conta para que a recuperação fosse feita já na Academia de Futebol. Sua contratação custou R$ 10 milhões, que foram pagos pela Crefisa.

Foi pelo mesmo valor que o clube também tirou Juninho do Coritiba. Contratado até 2022, ele chegou com destaque pela sua força, velocidade e polivalência por também poder atuar na esquerda. À época, ele chegou para substituir a venda de Vitor Hugo. Até aqui, ele confirmou a expectativa em poucos jogos.

Por enquanto, o único movimento do time para reforçar a zaga foi o de apostar mais uma vez. Emerson Santos foi contratado sem custos de negociação do Botafogo. Só em luvas, no entanto, a equipe pagou R$ 5,6 milhões.

Embora seja apontado como aposta, o atleta de 22 anos está no banco de reservas em General Severiano e fez só 14 jogos no ano. Ele foi titular pela última vez no ano no dia 20 de agosto, na derrota por 2 a 1 contra a Ponte Preta.

O clube ainda tem para a posição Antônio Carlos, que não deve seguir no Palmeiras em 2018, e Thiago Martins, que retorna de empréstimo do Bahia, mas também não tem seu aproveitamento garantido.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos