Horta pede impugnação de Eurico e quer 2º lugar em eleição do Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Paulo Fernandes / Flickr do Vasco

    Eurico Miranda é acusado de irregularidades na indicação de conselheiros

    Eurico Miranda é acusado de irregularidades na indicação de conselheiros

O grupo do ex-candidato Fernando Horta, terceiro colocado na eleição do Vasco, entregou um requerimento na secretaria do clube nesta quarta-feira (22) solicitando a impugnação da chapa de Eurico Miranda e o segundo lugar no pleito. O documento aponta supostas irregularidades na composição do colegiado do atual presidente para o Conselho Deliberativo cruzmaltino.

De acordo com o estatuto, os candidatos precisam indicar 160 conselheiros, sendo 120 titulares e 40 suplentes. Ocorre que, segundo as denúncias, nas cédulas disponibilizadas por Eurico há nomes duplicados, sócios sem tempo hábil para o cargo de conselheiro, além de erros cadastrais.

Arquivo pessoal
Requerimento pede a impugnação da chapa de Eurico na eleição do Vasco

Entre estas supostas irregularidades, consta no requerimento de Horta e seus pares o nome de Gabriel Araújo Peralta, filho de Antônio Peralta, ex-vice-geral na gestão de Roberto Dinamite e que pode retornar ao cargo com Eurico, caso o dirigente continue como presidente. Segundo a denúncia, ele possui menos de cinco anos de vida associativa, o que, segundo o regulamento do clube, o impede de ser um conselheiro.

Gabriel, junto com outros dez sócios que estavam na polêmica urna 7, tiveram uma ação negada onde tentavam comprovar que estavam em situações regulares para voto. 

No total, além do filho de Peralta, outros dez sócios estão citados no requerimento do grupo de Horta supostamente na mesma situação de falta de tempo hábil para o cargo de conselheiro. Há também outros dois nomes em duplicidade e mais dois com algum tipo de erro cadastral.

O documento foi protocolado na secretaria do clube por Otto de Carvalho, presidente do Conselho Fiscal e aliado de Fernando Horta.

Entenda a polêmica da eleição do Vasco

A urna 7 da eleição do Vasco ficou sub-júdice com 691 sócios sob suspeitas de irregularidades. No dia do pleito, 475 votaram, sendo 90% deles em Eurico, o que ajudou o atual presidente a vencer no somatório total. Na semana passada, porém, a juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, da 52ª Vara Cívil, decidiu por desconsiderar a urna polêmica. Sem os votos dela, o candidato Julio Brant tornou-se o vencedor. O caso, porém, ainda cabe recurso e Miranda já avisou que assim irá fazer. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos