Sidão manda recado para possível reforço do SP: "Sou eu quem está no cargo"

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

    Sidão é o goleiro do São Paulo no fim desta temporada

    Sidão é o goleiro do São Paulo no fim desta temporada

Apesar de se mostrar satisfeito com o rendimento de Sidão na reta final do Campeonato Brasileiro, o São Paulo já se prepara para contratar o goleiro Jean, do Bahia. O elenco tricolor conta atualmente também com Denis e Renan Ribeiro, que não devem renovar os seus vínculos com o clube, e Lucas Perri. Por isso, também, o atual arqueiro titular vê com bons olhos a chegada de mais um jogador para a posição, mas não vai fazer corpo mole na hora de tentar se manter entre os 11.

"[O fato de ter se firmado no Botafogo e no São Paulo] prova que não sou um golpe de sorte. Já é a segunda vez que pego uma bucha e provo que tenho condições de jogar em alto nível. Aqui é minha casa, minha vida. Estou provando o meu valor. Quem vier vai brigar pela posição, mas, por enquanto, sou eu quem estou no cargo e vou brigar para manter essa posição", disse Sidão, que aos 34 anos, se vê como um dos líderes do time.

"Nessa posição vai ser inevitável assumir essa postura referência. Temos os outros Lucas (Batata e Perri), jogadores bons que têm certa experiência da base. Não tenho certeza absoluta da contratação, mas pelo que vi é um bom goleiro e vai acrescentar bastante caso isso se concretize. Assumo a responsabilidade de ser a referência e quero passar o melhor para eles."

Sidão demorou para se firmar como titular do São Paulo. Contratado nesta temporada, o goleiro teve oportunidades durante o Campeonato Paulista sob o comando de Rogério Ceni. Porém, por conta de uma lombalgia, desfalcou a equipe e chegou até a ser cortado da lista de inscritos no estadual. Com a chegada de Dorival Júnior, a história mudou e ele voltou a ser utilizado, no lugar de Renan Ribeiro.

"Comecei o ano de forma muito boa, depois sofri uma lesão [lombalgia] que me atrapalhou bastante, me forcei a jogar e meu rendimento caiu muito. Esperei minha oportunidades, e hoje estou provando o meu valor e meu talento dentro de campo. Acho que jogador tem de provar dentro de campo e isso que estou tentando fazer. Estou encerrando o meu ano, em particular, de maneira positiva. A disputa sempre vai existir dentro de grandes clubes, é inevitável. Quem vier sempre será bem-vindo e a disputa será sempre sadia e honesta", afirmou o arqueiro.

Com 46 pontos somados após o empate por 0 a 0 com o Botafogo, o São Paulo não corre mais risco de rebaixamento na competição. A equipe ainda tem chances matemáticas de classificação para a Copa Libertadores e a Copa Sul-Americana. Já o adversário deste domingo, no Couto Pereira, é o Coritiba, que ainda luta contra a possibilidade de disputar a Série B em 2018. De qualquer maneira, o goleiro tricolor vê a necessidade de um planejamento para a próxima temporada.

"Realmente, foi um ano atípico no São Paulo. Talvez seja a pior campanha na história do clube em um primeiro turno [de Brasileiro], cumprimos a nossa obrigação que era escapar do rebaixamento. Para o ano que vem, algumas coisas precisam ser mudadas. Precisa de um planejamento legal da parte de diretoria, comissão técnicas, jogadores, de todos; Precisa se cumprir esse planejamento, trazer grandes nomes. Nós jogadores, internamente, já estamos falando sobre algumas mudanças nossas para nos colocarmos em lugares melhores no ano que vem."

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos