Perto de acertar com o São Paulo, Jean diz se "espelhar muito" em Ceni

José Eduardo Martins e Marcello De Vico

Do UOL, em São Paulo e Santos

  • Felipe Oliveira/EC Bahia

    Goleiro do Bahia, Jean é fã de Rogério Ceni e está perto de acertar transferência

    Goleiro do Bahia, Jean é fã de Rogério Ceni e está perto de acertar transferência

O São Paulo está muito perto de acertar o seu primeiro reforço para 2018. O goleiro Jean, do Bahia, já acertou as bases de sua transferência para o Tricolor paulista. A negociação, porém, só deve ser oficializada após a eleição presidencial do clube baiano, marcada para o dia 9 de dezembro. Desta maneira, por respeito ao time que defende hoje, o arqueiro evita falar sobre o assunto. Mesmo assim, ele não esconde a admiração por um dos maiores ídolos da história da sua provável equipe em 2018.

"O Rogério é um ídolo para mim porque batia faltas, tem uma grande história pelo São Paulo, e com certeza é um goleiro no qual eu me espelho muito. Como ídolo também tem o meu pai [Jean], e também olho os goleiros do exterior, como o Neuer, o Donnarumma, do Milan, o Buffon, além do Taffarel. São grandes goleiros. Acho que essas são as minhas referências", disse Jean, em entrevista ao UOL Esporte.

Caso a transferência se concretize, a torcida do São Paulo poderá rever um goleiro cobrar faltas. Pelo Tricolor paulista, o ex-jogador marcou 131 gols, sendo 62 de falta e 69 de pênalti. Até mesmo por usar Rogério Ceni como exemplo, Jean também se arrisca na hora de tentar balançar as redes. Neste Campeonato Brasileiro, ele cobrou três faltas nos últimos dois jogos do Bahia - contra o Sport uma foi na barreira e a outra no travessão; diante do Santos parou também barreira.

"Venho treinando bastante, desde a base. Cheguei a bater uma falta na base, no Campeonato Brasileiro, contra o Fluminense. Vou treinar cada dia mais para me aperfeiçoar para fazer o máximo de gols que eu conseguir."

Confira abaixo os principais trechos da conversa com o goleiro Jean, que tem 22 anos e 1,87m:

Negociação com o São Paulo

Não me passam nada, não sei de nada. Estou focado no meu trabalho no Bahia. É trabalhar cada vez melhor para ajudar o Bahia e botar o Bahia na Libertadores, que é onde ele merece estar. 

Dizer que era o "novo Rogério Ceni" durante treino no CT do Palmeiras

Foi uma brincadeira. Já vi uns torcedores fazendo uma interpretação errada. Não quis falar que eu ia ser o novo Rogério Ceni. Foi uma brincadeira, como criança hoje em dia, que vai no gol, defende e fala "Jean". Então, foi uma brincadeira dizendo que ia ser o novo Rogério Ceni. Não é nada disso. Ele tem a história dele no São Paulo, é um ídolo para mim, para a torcida do São Paulo. Também não quis ofender a torcida do Palmeiras. Não tem nada a ver. Foi apenas uma brincadeira que eu fiz e teve essa repercussão. Mas respeito muito o Palmeiras, o clube, a torcida, não foi querendo ofender ninguém... Acho que o Rogério já tem a história dele e eu vou procurar fazer a minha.

Pai jogador

Só ajuda. Tendo o pai que já passou por ali, ele pode nos dar alguns toques do que fazer dentro de campo, tem muito mais experiência do que eu, e para o meu irmão ajuda mais ainda, porque agora tem meu pai e eu para ajudar ele.

Nota da redação: Jean Fernandes, pai do goleiro do Bahia, jogou profissionalmente entre 1993 e 2011 e passou por clubes como Flamengo, Corinthians, Cruzeiro, Vitória, Bahia e Ponte Preta. O irmão de Jean, João, joga na base do Bahia.

Maduro

Amadureci muito. Onde eu estou hoje devo muito às minhas filhas, porque eu era um menino, novo, na flor da idade, me achava um pouco imaturo. A partir do momento que a minha filha nasceu, eu tinha de sustentar ela, dar tudo do bom e do melhor. Então, isso me amadureceu muito para poder jogar, dar meu melhor sempre, para poder dar tudo de bom e do melhor para elas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos