Réver sobre Muralha no Flamengo: "Para nós, sempre se mostra seguro"

Do UOL, no Rio de Janeiro

Capitão do Flamengo, o zagueiro Réver admitiu que o goleiro Alex Muralha, que novamente falhou - desta vez na derrota para o Santos por 2 a 1 - não atravessa um bom momento. O jogador, no entanto, ressaltou que o arqueiro se mostra seguro para os companheiros durante o dia a dia de treinamentos do Flamengo.

Réver também preferiu não escolher entre Muralha e o jovem César, que não atua em uma partida oficial há dois anos.

"César depois dessa partida teve seu nome gritado. O Muralha vem sendo um jogador visado, isso mostra sua insegurança. Para nós, sempre se mostra seguro, trabalha bem na semana. Sabemos da capacidade dos dois goleiros, cabe ao treinador decidir. Temos confiança nos dois. Muralha não vive um momento tão bom e César está há muito tempo sem jogar", declarou.

Questionado sobre a forma como reagiria caso estivesse na pele de Muralha, o zagueiro respondeu:

"Acho que jogador tem que estar preparado para tudo. Eu procuraria me empenhar ao máximo, principalmente me preparar psicologicamente. Sabemos que futebol acontece tudo muito rápido. São três jogos que vão definir nosso semestre. Ontem deixamos a desejar. Sabemos que quinta temos que nos empenhar muito mais".

Réver também foi perguntando por quais motivos Muralha deixou o campo na derrota para o Santos sozinho (na verdade, foi consolado pelo zagueiro Juan e saiu na companhia do massagista Deni).

"Não vi saindo sozinho do campo. Estava próximo da intermediária tentando juntar o máximo de jogadores para mostrar uma indignação pelo resultado, por conta da partida. Não pelo erros do Muralha. Não o vi saindo, teria o puxado também para mostrar apoio", declarou.

O Flamengo enfrenta o Junior Barranquilla (COL), nesta quinta-feira, na Colômbia, pelo jogo de volta das semifinais da Copa Sul-Americana. No de ida, no Maracanã, o Rubro-Negro venceu por 2 a 1 e, por conta disso, um empate basta para garantir vaga na final.

"A maior dificuldade que estamos tendo é essa ansiedade de fazer o jogo de qualquer maneira. Temos que controlar nossa ansiedade para que isso não atrapalhe nosso desempenho. Para que não aconteça o que aconteceu ontem. 20 chances e fazer um gol. E o adversário com três chances fazer dois", declarou Réver.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos