Antiga promessa se diz maduro e espera chance no Inter: "Me sinto pronto"

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Andrigo foi melhor do Gauchão de 2016, mas não se firmou em 2017 no Inter

    Andrigo foi melhor do Gauchão de 2016, mas não se firmou em 2017 no Inter

Desde os primeiros chutes na bola, Andrigo é rodeado de expectativas. Perseguido por observadores de gigantes europeus, com possibilidades de deixar o Inter antes mesmo de assinar seu primeiro vínculo profissional. Mas um grande rendimento gera pressão na mesma proporção. E ela o acompanha desde muito cedo.

Segundo ele, isso nunca atrapalhou. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, ele diz que lidar com este tipo de situação faz parte do futebol. Aos 22 anos, o melhor jogador do Gauchão de 2016 viveu sua primeira experiência fora do Colorado. Esteve no Atlético-GO e fez 35 jogos, marcando 4 gols.

"Jogador de futebol vive a pressão todo dia. E saber lidar com isso é fundamental para o crescimento. Este foi o primeiro ano que tive sequencia e pude mostrar meu futebol. No primeiro ano de Inter fui escolhido o melhor jogador do Gauchão. Sei que tenho muito a aprender e crescer, mas também sei que posso render e ajudar onde estiver", disse.

A expectativa era ganhar rodagem, experiência, amadurecimento para voltar e poder vestir a camisa vermelha com mais frequência. No início do ano ele tinha disputado seis jogos pelo clube. Marcou um gol. Ao todo, soma 37 participações e seis vezes balançou a rede rival.

"Claro que eu gostaria de estar no Inter e ajudar a recolocar o clube na Serie A, mas a ida para o Atlético-GO foi importante para meu amadurecimento profissional e sequencia de jogos", avaliou. "Sou muito crítico com meu trabalho, sempre olho o VT dos jogos e vejo onde posso melhorar. Acredito que essa temporada foi importante para mim, fui o jogador com maior número de jogos pelo Atlético-GO, fiz gols, dei assistências importantes, mas acima de tudo tive uma sequencia que me possibilitou crescer e mostrar meu futebol", disse, crente em um aproveitamento maior no ano que vem.

O contrato, contudo, está no fim. O Internacional já se movimenta nos bastidores para renovar com ele. Independentemente de ser aproveitado ou não, permanecer com Andrigo pode simbolizar lucro futuro.

"Esses assuntos de negociações e contratos eu deixo com meu empresario. Minha preocupação é 100% dentro de campo. Ele me ligou e passou algumas possibilidades que estão surgindo, mas quem cuida disso é ele", informou.

Mas a cabeça está no Beira-Rio. O jogador quer mesmo é ser aproveitado no clube que o formou, agora em novo momento, de volta na Série A. "Ainda não sei o que vai acontecer em 2018, mas me considero pronto sim, como falei antes, aprendi muito esse ano, amadureci e me sinto pronto para isso", completou.

Andrigo faz parte da lista de 30 nomes que retornam de empréstimo no início de 2018. É um dos que mais chances tem de receber nova avaliação do comando técnico agora coordenado por Odair Hellmann.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos