Com orçamento apertado, Atlético-MG vai apostar nas trocas para se reforçar

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Ale Cabral/AGIF

    Cobiçado por outros clubes, Marcos Rocha chega valorizado para a janela de transferências

    Cobiçado por outros clubes, Marcos Rocha chega valorizado para a janela de transferências

A temporada 2018 vai ser bastante diferente para o Atlético-MG em comparação com os anos anteriores. Se em épocas recentes o clube mineiro apostou na contratação de grandes nomes como Ronaldinho Gaúcho, Victor, Robinho, Fred e Elias, entre outros, para a próxima temporada a política vai ser bem mais modesta.

Prova disso é a redução no orçamento do clube, aprovado pelo Conselho Deliberativo. Em 2016, o Galo faturou acima de R$ 300 milhões e projetou 2017 com R$ 328 milhões. No ano que vem, o clube dá um passo atrás e clube espera arrecadar R$ 298 milhões, valor próximo ao que alcançou no ano passado. Uma queda significativa e que causa impacto direto no futebol.

Tanto que o mercado atleticano para 2018 vai ser mais modesto. Poucas contratações e nada de grandes quantias envolvidas. A solução encontrada pela diretoria atleticana é usar alguns atletas como moeda de troca. Alguns nomes já são discutidos, mas definição somente após o dia 11 de dezembro, quando o clube vai conhecer seu presidente para o triênio 2018/2020.

Candidato da situação, Sérgio Sette Câmara é o favorito para vencer o pleito. Caso eleito, como é o esperado, ele já anunciou que Alexandre Gallo será o próximo diretor de futebol do clube. E Gallo tem trabalho na montagem do elenco para 2018, ao lado do técnico Oswaldo de Oliveira, que já foi comunicado que seguirá no comando do time caso Sette Câmara seja eleito.

Entre os nomes debatidos para deixar o clube está o de Marcos Rocha. Titular do Atlético desde 2012, o lateral fica sem contrato no fim de 2018 e é cobiçado por outras equipes do Brasil. Inclusive, Rocha recebeu proposta para trocar o Atlético pelo São Paulo durante a temporada 2017, mas a negociação não evoluiu. O Palmeiras foi outro clube que já mostrou interesse no camisa 2 do Galo.

Negociar Marcos Rocha não é a prioridade no Atlético, mas diante do cenário que se desenha, o lateral se tornou uma das moedas mais valorizadas do elenco atleticano. Além dele, outros nomes podem entrar em negociações que rendam reforços para o Galo. O zagueiro Erazo e o atacante Clayton são alguns dos atletas que podem ser envolvidos em transações.

Pouca movimentação no mercado

Apesar da expectativa frustrada em 2017, quando muito se esperava do Atlético e o time chega à última rodada do Campeonato Brasileiro dependendo de uma combinação de resultados para jogar a Copa Libertadores do ano seguinte, a diretoria que deve assumir o clube tem como planejamento a manutenção da equipe.

A ideia inicial é contratar até cinco reforços, apenas para suprir as carências apresentadas pela equipe ao longa da temporada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos