Empresário acusa Chape de calote. Clube nega e promete acionar Justiça

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

  • Paolo Bruno/Getty Images

    Chapecoense e Roma fazem amistoso na Itália

    Chapecoense e Roma fazem amistoso na Itália

A Chapecoense foi acusada de calote pelo empresário Rodolfo Forte Neto, que afirma ter negociado o contrato de patrocínio de US$ 36 milhões com a Qatar Airways e agendando o amistoso do time contra a Roma. As informações são do jornal Diário Catarinense que acrescentou que ele apresentou uma autorização do presidente do clube, Plínio David de Nês, para remuneração de 10% do valor obtido. Um contrato também foi exibido, mas sem assinatura do dirigente.

A disputa entre ambos ocorreu depois que a Chapecoense escolheu outra pessoa para intermediar contratos de patrocínio e amistosos no exterior. Rodolfo é paranaense e sócio da RBR Gold Negociações Esportivas Ltda. O empresário convocou uma coletiva em Chapecó nesta sexta-feira e fez a denúncia.

A acusação foi recebida com indignação por David de Nês. Primeiro, ele riu ironicamente ao ser perguntando e depois declarou que o empresário é um embuste e comunicou que vai processar Rodolfo Forte Neto. Os documentos para acionar a Justiça já estariam sendo reunidos. De Nês reconheceu que havia uma assinatura de representação nas negociações do Catar com a RBR mas que não teve resultado.

Sobre a denúncia, reagiu com irritação. "Isso é brincadeira. Ele é o homem que vendeu tudo e não entregou nada do que prometeu. Não tem o que falar, ele é um embuste que apareceu na cidade. O departamento jurídico está de posse de documentos para mostrar que estamos corretos."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos