Maior que Ibrahimovic? Como Cavani conquistou idolatria no PSG

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

  • Franck Fife/AFP

Na caminhada rumo à marca do pênalti, Neymar ouve o apelo da torcida: "Cavani, Cavani". É o grito para que o uruguaio seja o cobrador do time. O apelo é respeitado pelo camisa 10 e mostra uma incrível idolatria ao uruguaio no Paris Saint-Germain. Nela, a marca de gols, além da raça, o comportamento e a valorização ao clube e a Paris são fatores fundamentais.

Três gols. É o que falta para Edinson Cavani igualar Zlatan Ibrahimovic como maior goleador na história do PSG. No total são 153 gols – Ibra tem 156 -. A marca pode ser alcançada neste sábado diante do Strasbourg, pelo Campeonato Francês. Isso, pois o uruguaio, que não gosta de ser poupado, tem cadeira cativa no time.

Cavani convive com um enorme respeito no PSG por conta do estilo de jogo. A dedicação apresentada em campo, com constantes combates defensivos é típico do futebol uruguaio. E bastante respeitado pelo francês apaixonado por futebol.

A incrível temporada a favor também o valoriza ainda mais. Cavani é o maior artilheiro entre as grandes competições europeias, com 17 gols em 14 jogos. São 23 gols no total contabilizando só 6 marcados na Liga dos Campeões. Neymar, por exemplo, soma 15 no total.

"Não é só uma questão de gols. Cavani é um sujeito elegante, de poucas palavras. Ficou sumido na época da briga com o Neymar e soube se comportar em campo. Ele sabe como agradar um francês", comentou o jornalista Florent Tourchet, do jornal esportivo francês L'Equipe.

O comportamento de Cavani em redes sociais é discreto. Mas cena comum é ver o jogador postando vídeos de passagem pela Torre Eiffel. Após a goleada contra o Celtic por 7 a 1 fez até questão de sair do carro e fazer uma gravação em formato selfie no local. Algo que agrada qualquer cidadão parisiense.

Franck Fife/AFP
No último pênalti para o PSG, torcida pediu e Cavani acabou fazendo a cobrança

No PSG, Cavani soube esperar pela passagem de bastão de Ibrahimovic. Foram 3 temporadas à sombra do sueco, sem reclamações públicas. Pênalti, por exemplo, foi apenas um cobrado com a permissão de Ibra durante o tempo em que atuaram juntos.

O histórico paciente com Ibrahimovic deixou Cavani respaldado no atrito com Neymar. Prova disso foi a pesquisa do "L'Equipe", que trouxe o uruguaio como o preferido da torcida pelo posto com 65%. Neymar ficou com 35%.

A briga com Neymar já foi superada. E enquanto o brasileiro ainda luta por unanimidade entre os torcedores, Cavani já tem seu espaço na história do PSG.

"Eu tenho uma maneira diferente de pensar do Neymar, e de outros jogadores. Mas isso é algo normal. O importante é fazer o meu trabalho de maneira correta e empenhado. A doação máxima é algo que a torcida sempre terá de mim", comentou Cavani. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos