Lugano dá camisa do adeus ao "filho" Brenner e pede cuidado com jovens

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

O São Paulo acredita ter um craque em mãos. Aos 17 anos, Brenner tem somente quatro jogos como profissional e marcou pela primeira vez na tarde deste domingo, no último jogo da temporada, no empate em 1 a 1 com o Bahia. O tento marca o início de uma trajetória de uma das revelações mais promissoras de Cotia e saiu justamente no dia em que um dos maiores ídolos da história do Tricolor se despediu. Diego Lugano fez o último jogo pelo clube paulista e, por coincidência, é o grande mentor do garoto.

Não foi raro, desde a promoção feita por Rogério Ceni em junho deste ano, ver Lugano e Brenner lado a lado. Seja em rodas de bobinho nos treinos ou em conversas no vestiário. São fotos e vídeos nas redes sociais que comprovam a cumplicidade da dupla. O uruguaio, 20 anos mais velho, tem um filho da mesma idade do atacante são-paulino, que viveu dia de fã mesmo depois de ser protagonista no encerramento da temporada e diante de 60 mil torcedores no Morumbi.

Brenner pediu a camisa usada por Lugano, que entregou a ele um dos uniformes usados neste domingo. Um troféu para o jovem que saiu do estádio sem nem sequer parar para dar entrevista na zona mista. Estava empolgado, entretido com outras crias de Cotia que estrearam - Bissoli e Gabriel Sara. Não pôde ver, por exemplo, o que seu "paizão", como costuma chamar o ídolo, falou na coletiva de despedida do São Paulo.

"Estar no vestiário do profissional de um time como o São Paulo abre um mundo imenso para um jovem, algo impensável para a maioria das pessoas. Isso traz sérias consequências se você não está preparado, como a maioria não está por não ter base cultural, intelectual e familiar para entender. É obrigação dos mais velhos passar vivência e experiência de erros próprios. É um ciclo natural, algo folclórico já do futebol. Mas o tempo muda, os meninos chegam cada vez mais novos e o mundo é cada vez mais complexo ao redor", alertou Lugano, antes de prosseguir:

"A pressa que se tem em usar um Brenner, estreando aos 17 anos, o coloca em um mundo muito amplo e perigoso. Por isso nós mais velhos temos obrigação de passar recados. Não técnicos, nem táticos, porque isso todos os treinadores falarão para ele e outros garotos. Todo mundo já passou pelo que eles enfrentam e vocês não podem imaginar tudo o que rodeia um jogador novo, com esse talento e em uma instituição deste tamanho".

Lugano deixa o São Paulo com 37 anos, duas passagens, 213 partidas, 13 gols e os títulos do Campeonato Paulista, da Copa Libertadores da América, do Mundial de Clubes e do Campeonato Brasileiro. Brenner tem 17 anos, quatro jogos, um gol e a experiência de ter sofrido ao lado de um ídolo os receios de ficar marcado com o primeiro rebaixamento da história do Tricolor.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos