Polêmico em 2016, árbitro de vídeo voltará a ser usado no Mundial de Clubes

Do UOL, em São Paulo

O Mundial de Clubes voltará a usar o árbitro de vídeo. Após estrear a ferramenta em 2016, com algumas polêmicas, a Fifa anunciou nesta terça-feira (5) que o torneio nos Emirados Árabes terá o auxílio tecnológico na arbitragem em todos os jogos da competição, que tem início nesta quarta-feira (6).

"O árbitro de vídeo será usado no último torneio da Fifa em 2017, em preparação para a Copa do Mundo da Rússia de 2018, para apoiar os árbitros quando um erro claro em uma decisão que mudaria o jogo acontecer. Esses erros podem incluir incidentes sérios como gols, pênaltis, cartões vermelhos direitos e erros de identidade", diz o comunicado da Fifa.

Na edição de 2016, um dos primeiros torneios a fazer uso do árbitro de vídeo, a tecnologia gerou confusão e polêmicas. A primeira delas veio no jogo da eliminação do Atlético Nacional para o Kashima Antlers, o árbitro Viktor Kassai marcou um pênalti após consulta ao vídeo. No entanto, um impedimento na mesma jogada dividiu opiniões se a decisão foi acertada.

Outro momento crítico do árbitro de vídeo em 2016 ocorreu na partida entre América do México e Real Madrid. O árbitro Eduardo Cardozo solicitou a revisão do vídeo para garantir que o gol de Cristiano Ronaldo estava em posição legal ao receber a bola no lance do segundo gol dos espanhóis na partida. No entanto, ao sinalizar o pedido, o América saiu jogando, para logo ser interrompido pelo árbitro, que só então confirmou o gol.

Procurando apagar esse histórico de confusões, a tecnologia já será usada no duelo entre Al-Jazira e Auckland City desta quarta, em Al Ain.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos