Goleiro do PSG foi vítima de golaço de Neymar e convive com críticas

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

São cinco gols sofridos nos dois últimos jogos – derrotas por 2 a 1 para o Strasbourg e 3 a 1 diante do Bayern de Munique. O suficiente para o goleiro do Paris Saint-Germain, Alphonse Areola, voltar a conviver com críticas. A rotina de pressão no clube parece interminável e a sombra do reserva alemão Kevin Trapp segue grande.

Aos 24 anos, e apesar de constantes convocações para a seleção francesa, Areola não tem a fama de um super goleiro. E o lance de maior exibição na carreira é o que para muitos é o gol mais bonito de Neymar (ver vídeo acima) – em 2015, defendendo o Villarreal diante do Barcelona, o goleiro acompanhou o brasileiro recebendo passe de Luis Suárez e, de costas, aplicar um chapéu no marcador antes de bater de primeira e marcar o golaço.

"Eu sou a prova do talento do Neymar", brincou Areola após a contratação do brasileiro em agosto. "Como gostam de pegar no meu pé podem exibir bastante esse lance (gol de Neymar) e falar de mim, não dele", completou.

Areola usou o lance com Neymar para cutucar a imprensa francesa. O motivo, claro, é a constante enxurrada de críticas. As mais recentes foram pesadas.

"É o culpado dos gols. Claro, parece abandonado pela defesa, mas não pegou bolas defensáveis", citou o jornal francês "Le Parisien", após a derrota de 2 a 1 para o Strasbourg. A nota ao goleiro na partida: 2.

"Não é questão de culpa. Mas Areola parece conviver com o perigo. Duro nao passar medo quando a bola ronda o gol do PSG", criticou o jornal esportivo "L'Equipe" após o 3 a 1 do Bayern de Munique.

Areola é formado no PSG. A passagem pelo Villarreal na temporada 2015/2016 foi por empréstimo e avaliada como excelente pela mídia espanhola – terminou como o terceiro goleiro menos vazado do Campeonato Espanhol com 26 gols sofridos, em 32 jogos -. No entanto, a caminhada rumo à titularidade no PSG foi turbulenta.

Areola revezou a camisa 1 do time com Trapp. Falhas seguidas do goleiro alemão na temporada passada fixaram o francês na posição. O problema é que seus números são inferiores ao do concorrente.

No PSG, Areola tem 50 jogos como titular e 38 gols sofridos. Média de 0,76 por partida. Já Trapp tem 48 gols sofridos, em 78 jogos. Média de 0,6 por partida.

"Umas das maiores cobranças do Unai Emery é a decisão de fixar Areola como titular. Difícil ver o Trapp continuar no clube agora na janela de inverno (abertura em janeiro). Isso só vai aumentar a pressão sobre o Areola", destacou o jornalista francês, Florent Tourchet, repórter do "L'Equipe".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos