Novo clube de Arana, Sevilla fatura com brasileiros e os 'leva' à seleção

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Após uma temporada de destaque no Corinthians com dois títulos, Guilherme Arana foi vendido ao Sevilla por 10 milhões de euros (R$ 38,8 milhões). O lateral esquerdo terá a companhia de Paulo Henrique Ganso, outro brasileiro do clube andaluz, a partir de janeiro de 2018.

Apesar de o desempenho do meia ex-Santos e São Paulo estar abaixo do esperado na equipe, o Sevilla costuma se dar muito bem com brasileiros. Além de ajudar no desenvolvimento de atletas no futebol europeu, o clube fatura muito alto com as negociações envolvendo os sul-americanos, além de leva-los à seleção canarinho.

Veja brasileiros que se deram bem no Sevilla:

Daniel Alves (2002 - 2008)

Denis Doyle/Getty Images

Brasileiro de maior sucesso na história do Sevilla, Dani Alves chegou ao clube em 2002 por empréstimo do Bahia, e assinou um contrato em definitivo no ano seguinte, após se destacar também no Mundial Sub-20 de 2003, atuando pelo Brasil. O jogador, que chegou a atuar de meia na equipe, ganhou 3 Copas da Uefa (atual Liga Europa) pela equipe antes de ser vendido por 35 milhões de euros ao Barcelona em 2008. A negociação era a maior venda da história do Sevilla até a última janela de transferências, quando o Atlético de Madri pagou 36 milhões de euros pelo meia espanhol Vitolo.

Luís Fabiano (2005 - 2011)

EFE/Julio Muñoz

Depois de uma passagem decepcionante pelo Porto, Luís Fabiano se destacou no futebol europeu atuando pelo time andaluz. Além de quatro títulos pelo clube, a parceria com o malinês Frédéric Kanouté fez o atacante voltar à seleção brasileira, em que foi o camisa 9 entre o fim de 2007 e 2010 na era Dunga, titular da Copa na Àfrica do Sul. O atual atacante do Vasco é o 5º maior artilheiro da história do Sevilla, com 107 gols marcados entre 2005 e 2011.

Júlio Baptista (2003 - 2005)

Javier Hurtado/AFP

Sem se destacar no São Paulo como volante, Júlio Baptista foi vendido ao Sevilla por US$3.75 milhões em 2003. O então técnico do Sevilla Joaquín Caparrós adiantou o brasileiro, que fez muito sucesso no clube atuando como meia e atacante, fazendo 50 gols em 81 jogos. Dois anos depois, o Real Madrid gastou 20 milhões de euros no brasileiro, que foi atuar ao lado dos compatriotas Roberto Carlos, Robinho, Ronaldo e Cicinho. Apesar de não ter tido sucesso na equipe merengue e nem em outros clubes como Arsenal, Roma e Cruzeiro, o meia de 36 anos é a 8ª maior venda da história do Sevilla.

Adriano Correia (2005 - 2010)

AFP PHOTO/JOSE LUIS ROCA

Adriano Correia seguiu um caminho semelhante ao de Daniel Alves. Destaque nas seleções brasileiras de base, o lateral deixou o Coritiba no início de 2005 rumo ao Sevilla. O atleta se mostrou essencial para a equipe por ser ambidestro. Atuando inicialmente na lateral direita, Adriano se destacou na esquerda, posição em que chegou a ser convocado para a seleção brasileira. Em 2010, o jogador foi contratado pelo Barcelona para ser uma espécie de coringa no banco de reservas. Atualmente, o brasileiro de 33 anos vem se destacando no Besiktas, bicampeão turco e primeiro colocado do Grupo G da Liga dos Campeões.

Renato (2004 - 2011)

REUTERS/Heino Kalis

Destaque no meio-campo do Santos, Renato acertou sua ida ao Sevilla em 2004, logo depois de atuar pela seleção brasileira que venceu a Copa América em jogo contra a Argentina. Na equipe, o volante foi titular absoluto e um dos jogadores mais usados pelo então técnico Juande Ramos, no time que venceu duas Copas do Rei e duas Copas da Uefa. Mesmo sendo titular absoluto, Renato optou por voltar ao futebol brasileiro em 2011, após o fim de seu contrato com o time andaluz, onde atuou em mais de 200 jogos.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos