Kalil reforça apoio a candidato da situação e promete ajudar o Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Atlético-MG

    Prefeito de BH apoia Sette Câmara para suceder Nepomuceno na presidência do Galo

    Prefeito de BH apoia Sette Câmara para suceder Nepomuceno na presidência do Galo

Atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, ex-presidente do Atlético-MG, reafirmou sua posição na eleição do clube. A poucos dias da eleição que vai definir o sucessor de Daniel Nepomuceno para o triênio 2018-2020, o ex-presidente do Galo reforçou seu apoio ao candidato da situação, Sérgio Sette Câmara, e prometeu continuar acompanhando e ajudando o clube para que volte a disputar os títulos que faltaram em 2017.

"Vamos para uma disputa e tenho certeza que o Sérgio Sette Câmara vai sair com uma vitória expressiva. É uma nova direção, apesar de ser o mesmo grupo, é uma nova mentalidade, mas é um grupo sólido que transformou o Atlético nesta potência que é hoje. O Daniel sai com o dever cumprido, teve seus altos e baixos, mas sempre mantendo um nível, esse grupo precisa ser valorizado", disse, em entrevista à Rádio Itatiaia.

"Nós não queremos virar as costas, queremos continuar à medida do possível. Hoje, estou muito restrito, por ser prefeito de Belo Horizonte, mas sempre que possível, vou ajudar esse grupo que comanda o Atlético hoje".

Sette Câmara é o favorito na disputa da próxima segunda-feira. O candidato da situação é apontado como virtual vencedor e já iniciou seu trabalho nos bastidores. Ao lado de Alexandre Gallo, futuro diretor de futebol, a dupla já deu o sinal verde para Oswaldo de Oliveira permanecer no clube e começou o planejamento de 2018, buscando nomes como o zagueiro Pablo e o lateral direito Guillermo Varela.

"Tirar esse grupo do Atlético hoje é uma temeridade. O conselheiro que vai lá votar sabe disso. Dou todo o direito de qualquer um concorra à presidência do Atlético. Só que não é hora de mudar um grupo vitorioso, que está unido e que deseja dar uma oportunidade ao Sérgio e a esse grupo de refazer um trabalho que pode ser refeito sim. Podem contar com todos desse grupo, inclusive comigo, para levar o Atlético a novas conquistas", acrescentou.

A oposição do Atlético será formada por Fabiano Lopes Ferreira, que terá Antônio Silva Passos como vice-presidente. Juntos, eles formam a chapa "Virada do Galo".

"Só acho que o Atlético não precisa de uma virada como se chama a chapa adversária. Nós demoramos muito para desvirar o Atlético e colocá-lo no rumo certo. Nos anos bons, o Atlético conquista títulos, e hoje, quando o ano não é bom, ele quase chega na Libertadores (ainda depende do Flamengo para se classificar). Antigamente era o contrário, nos anos ruins nós bicaríamos a segunda divisão. É importante que esse grupo continue. Eu não gostaria de virar as costas para o Atlético. Ele é uma coisa importante na minha vida, não adianta ser cínico", concluiu.

Desta forma, somente a partir da semana que vem, o Atlético estará totalmente mergulhado no  projeto da temporada de 2018. Além de cuidar das contratações, a nova diretoria ainda precisará definir a situações de jogadores que ainda não possuem futuro definido no clube, seja por contrato, como Robinho e Rafael Moura, ou pela possibilidade de venda, casos de Gabriel e Marcos Rocha.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos