Desgaste de última renovação ainda atrapalha Palmeiras no papo com Adidas

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Antonio Gauderio / Folhapress

    Palmeiras e Adidas são parceiros desde 2006 e têm uniforme verde limão como case de sucesso

    Palmeiras e Adidas são parceiros desde 2006 e têm uniforme verde limão como case de sucesso

O desgaste gerado na última renovação de contrato com a Adidas ainda atrapalha o Palmeiras. Em outubro de 2015, as partes demoraram a entrar em um acordo e deixaram uma herança que perdura até hoje.

Na ocasião, o então presidente Paulo Nobre exigia melhores condições financeiras e adotou postura inflexível na conversa com a fornecedora de material esportivo. A postura, à época, causou ruído na comunicação até mesmo com a diretoria global da empresa alemã.

A relação entre time e parceira tem melhorado desde o início do ano, com a entrada de Maurício Galiotte, mas ainda não está completamente equalizada, especialmente no que diz respeito ao escritório internacional da empresa.

O atual presidente deixou claro que também vai pediu mais dinheiro para a renovação. A principal irritação palmeirense segue a mesma daquela época: o Flamengo ganha quase o dobro, mesmo com o Alviverde tendo destaque no ranking de venda de produtos.

Em outubro de 2015, durante o auge das discussões, o Palmeiras procurou novos fornecedores de material esportivo, mas não encontrou. Desta vez, diz ter sondagens de duas concorrentes, mas não revela os nomes.

Entre os especialistas de mercado, o nome da Puma é o mais forte para assumir o lugar da Adidas caso a renovação não aconteça. O contrato atual vai até dezembro de 2018, mas o acordo precisa ser feito com antecedência para o planejamento comercial dos produtos alviverdes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos