Com um pé fora do Corinthians após indisciplina, goleiro nega afastamento

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Matheus Vidotto, goleiro do Corinthians: clima ruim no fim de ano após indisciplina

    Matheus Vidotto, goleiro do Corinthians: clima ruim no fim de ano após indisciplina

Em contraste às últimas semanas do ano de entusiasmo no Corinthians pelos títulos brasileiro e paulista em 2017, o goleiro Matheus Vidotto não participou das comemorações pela conquista mais recente e se viu fora dos planos da comissão técnica para o ano que vem. Aos 24 anos, a promessa que foi campeã da Copa São Paulo em 2012 cometeu ato de indisciplina e tem permanência improvável para o elenco principal de Fábio Carille. Mesmo assim, nega estar fora dos planos ou afastado.

Em contato com a reportagem, o empresário Giuseppe Dioguardi questionou a informação de que Vidotto, que não participou das celebrações, não integra mais o elenco principal corintiano. "Que afastamento? Não vi ninguém do clube falando que ele está afastado. Nem ninguém falou isso, ou com ele ou comigo", refutou o representante de Vidotto. 

A gota d'água para a situação do atualmente quarto goleiro do Corinthians ocorreu na Arena da Baixada, logo depois da lesão de Walter contra o Atlético-PR. O preparador de goleiros Mauri Lima havia sido expulso, e antes mesmo de Carille se voltar ao banco, Vidotto colocou as luvas e iniciou um breve aquecimento. O também suplente Caíque França, com mais minutos em 2017, é que foi o escolhido. Matheus, que esperava ir a campo, protestou e irritou a comissão. 

De acordo com um integrante do corpo técnico, havia um revezamento estabelecido entre Caíque, 22 anos, e Vidotto. A definição é que contra o Atlético, em caso de algum problema com Walter, o primeiro é que ganharia a oportunidade. O colega, por sua vez, seria o suplente imediato no jogo seguinte, diante do Avaí. Essa condição, conforme apurou a reportagem, é que não foi aceita por Matheus e causou seu ato de indisciplina. Nessa semana, vale lembrar, Cássio servia à seleção brasileira. 

Logo depois do episódio, Matheus deixou de ser relacionado e, sob a alegação de um problema no joelho, foi enviado à fisioterapia. O diretor de futebol Flávio Adauto, por sua vez, minimizou o caso e chamou Vidotto de "quarto reserva", além de abrir a hipótese de ele retornar ao banco de reservas. Isso, porém, não deverá ocorrer. 

Temporada sem jogar e para ser esquecida

Único dos quatro goleiros do Corinthians que não teve nenhum minuto em campo na temporada, Matheus Vidotto causou desconforto no início do ano. Em meio a um cenário de indecisão, com Walter lesionado, ele perdeu a pré-temporada nos Estados Unidos para ir à Itália retirar cidadania europeia. A situação não foi bem aceita no CT Joaquim Grava e contribuiu para que Caíque, até então a última opção, ganhasse mais espaço. 

Considerado mais trabalhador e mais humilde que o colega, que também enfrentou alguns problemas físicos, ele teve exibições seguras nas quatro partidas oficiais em que foi a campo no ano.

Outro goleiro bem avaliado e que deverá ganhar espaço em 2018 é Filipe, atualmente nos juniores mas já presente em diversas atividades com o preparador Mauri Lima, no profissional, desde 2016. Ainda está definido que Douglas, emprestado ao Avaí, segue com a delegação para os Estados Unidos, em janeiro, na Flórida Cup.

Vidotto, por sua vez, deverá ser emprestado, já que ainda tem contrato por uma temporada. Caso o goleiro e seu representante apresentem alguma oferta de outra equipe, em definitivo, a direção do Corinthians também não deverá se opor. Convocado por Luiz Felipe Scolari para um amistoso da seleção brasileira em 2013, por recomendação de Alexandre Gallo, então coordenador de base da CBF, Matheus definitivamente precisará se provar de novo em 2018. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos