Grêmio treina de olho em destaque japonês e goleiro 'vovô' do Pachuca

Luiza Oliveira

Do UOL, em Al Ain (EAU)

  • Luisa Oliveira/UOL

O Grêmio treinou na tarde deste domingo (manhã, no horário de Brasília) para enfrentar Pachuca-MEX pela semifinal do Mundial de Clubes, na próxima terça, às 15h. O técnico Renato Gaúcho realizou um treino fechado no estádio Tahnoun bin Mohammed e a imprensa só teve acesso a cerca de 20 minutos da atividade.

Renato Gaúcho e o grupo começaram a colocar em prática as estratégias para superar o Pachuca-Mex, que venceu o Wydad Casablanca e será o adversário da semifinal na próxima terça-feira. O meia japonês Honda é um dos destaques da equipe mexicana e é uma das maiores preocupações do time.

"Acho que todo mundo ficou bem ligado. É sempre importante a gente estudar ao máximo o adversário, a gente tentar coletar o máximo de informações para que na hora do jogo de repente a gente tire de vantagem sobre isso.  É um time com uma transição muito rápida, o Honda é um grande jogador, flutua bastante pelo meio campo", disse o lateral direito Edilson.

Outro atleta que merece a atenção dos gremistas é o goleiro Oscar Pérez. O arqueiro de 44 anos já se tornou uma celebridade pela idade avançada e por ser considerado baixinho para a função com seus 1,72m.

Marcelo Grohe acredita que ele tem méritos e elogia o colega de posição. "Eu acho que se ele joga com essa altura é porque tem qualidade e pode suprir a falta de altura com outras situações. Certamente ele tem uma impulsão boa, recursos técnicos para superar essa altura. Se não tivesse, dificilmente conseguiria jogar com estatura baixa", disse.

Já o argentino Lucas Barrios minimiza a altura de Oscar Pérez. "Viu ontem ele, um goleiro não tão grande, mas experiente e que a gente respeita muito porque tem uma trajetória muito boa. Vamos fazer tudo para causar danos a ele. Mas aqui nesse jogo, não importa tanto a altura. Só fiz um gol de cabeça no Grêmio porque o time tem outras características de jogar".

Mas o duelo promete ser difícil, já que as equipes mexicanas são sempre perigosas. É o que pensa Marcelo Grohe. "Olhamos o jogo, observamos as duas equipes. Começamos a receber o relatório da equipe do Pachuca, os detalhes de cada jogador, o que é sempre passado pelo nosso CDD. Como enfrentar uma equipe mexicana é sempre difícil, vai ser um jogo duro, difícil. Temos que estar preparados para fazer um grande jogo. Não vai ser fácil, vai ser uma estreia complicada".

No treino deste domingo, a imprensa só pôde observar a parte do aquecimento. Foi possível ver que Kanneman retornou normalmente às atividades após ficar fora do treino de sábado por causa de uma gripe. Já Bruno Rodrigo e Bressan treinaram separadamente do restante do grupo. Bruno se recupera de uma entorse no tornozelo esquerdo enquanto o zagueiro ainda sofre com uma contratura muscular no posterior da coxa direita.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos